Antigamente, muitos tsadikim costumavam dedicar seu tempo a coletar dinheiro para famílias necessitadas ou para resgatar alguém que tivesse sido preso numa mas- morra por um poritz (senhor feudal) por ter sido incapaz de pagar o aluguel. A tsedacá tinha tamanha prioridade que superava as outras mitsvot.

Coletar fundos não é uma tarefa agradável. Algumas pes- soas se ressentem quando lhes pedem para contribuir, e podem bater a porta na cara do coletor. O tsadic de Sanz, cujos esforços para tsedacá são legendários, disse certa vez ao seu filho: “Quando você pede uma doação a alguém e lhe é recusada, você deve julgar favoravelmente a pessoa. Talvez esteja com sérios problemas financeiros e esteja reagindo mal devido a esse aborrecimento.

Um tsadic recebeu uma explosão de insultos e maldições quando pediu a alguém uma doação. Ouviu calmamente, então disse baixinho: “Obrigado. Os insultos e maldições aceitarei para mim mesmo, mas o que você vai doar para os pobres?”