Certa vez, depois da Segunda Guerra, um chassid visitou seu Rebe e começou a chorar amargamente. O chassid tinha perdido tudo durante a guerra: sua mulher, seus filhos, sua casa e a esperança. Sentia-se incapaz de seguir em frente. Em desespero, implorou ao Rebe por uma bênção e um conselho; qualquer coisa que pudesse ajudá-lo a encarar o futuro.

O Rebe, que também tinha perdido a esposa, filhos e a comunidade durante a guerra, ouviu em silêncio. Então inclinou a cabeça em silenciosa contemplação, buscando em sua própria alma as palavras de conforto. Após alguns instantes, falou: "A Torá é a Torá da verdade. Nem uma palavra, nem uma letra, é irrelevante. E encontramos algo surpreendente. A Torá termina com: 'E não surgiu ainda um profeta como Moshê em Israel, a quem D'us apareceu face a face; pois todos os sinais e maravilhas que D'us o enviou para realizar no Egito, ao faraó e a todos os seus servos e a toda sua terra; e pela mão forte e a todos os milagres que Moshê fez em vista de todo Israel.'"

O chassid pousou o olhar sobre a mesa, enquanto seu Rebe continuava: "O erudito Rashi comenta: 'Em vista de todo Israel' refere-se ao ato de Moshê, despedaçar as Tábuas com os Dez Mandamentos perante os olhos de todos.' Porém, por que o Rashi acrescenta as palavras 'perante seus olhos?' Por que Rashi não diz apenas 'refere-se ao ato de Moshê de despedaçar as Tábuas?'"

O chassid ficou em silêncio. O Rebe olhou para ele e murmurou: "É porque as Tábuas foram despedaçadas somente perante os olhos deles. No Mundo Acima, as Tábuas permaneceram completas, sagradas e puras. Assim, também, os amores de sua vida foram despedaçados somente perante os seus olhos. Acima, eles também permanecem completos, sagrados e puros, esperando pelo dia em que seremos reunidos com Mashiach, que este dia chegue brevemente em nosso tempo.