1. Sua História é contada em Melachim e Divrê-Hayamim

Talvez o mais famoso dos profetas judeus (depois de Moshê é claro), as atividades de Eliyahu são contadas no Livro Melachim (Reis) – começando em I Melachim 17 e terminando em II Melachim 2. Em II Divrê-Hayamim (Crônicas) Crônicas 21, também há registro de uma carta que ele enviou ao Rei Jehoram, que não liderou com retidão. Eliyahu, no entanto, não nos deixou com um livro de suas profecias, então não há nenhum volume da Torá que contenha seu nome.

2. Ele Castigou um Rei Malvado e foi Alimentado por Corvos

Eliyahu aparece pela primeira vez em I Melachim 17, onde é identificado como um residente de Toshav (ele era, portanto, conhecido como “Tishbi”) da região de Guilead. Depois que ele disse ao malvado rei Ahab que não haveria orvalho nem chuva, D'us lhe disse para se esconder em um vale, onde era sustentado por corvos que lhe traziam carne e pão duas vezes por dia.1

3. Ele Reviveu um Menino Morto

Eliyahu finalmente deixou seu esconderijo porque não havia água para beber, e D'us o encaminhou para uma certa viúva que cuidaria dele. A mulher era pobre e não tinha o suficiente nem para ela e seu filho, mas deu o que tinha para Eliyahu. Em troca, Eliyahu prometeu a ela que seu pequeno pote de farinha e frasco de óleo nunca mais acabariam a partir daquele momento.

O filho dessa mulher acabou adoecendo e “nenhuma alma ficou dentro dele”. Eliyahu levou o menino para seu quarto no sótão, onde chamou a D'us. D'us ouviu Eliyahu e o menino voltou à vida.2

4. Ele Defendeu D’us no Monte Carmel

Durante o tempo de Eliyahu, os profetas de D'us foram perseguidos e muitas vezes mortos, e o povo adotou o culto idólatra de Baal. Para demonstrar a falácia da adoração de ídolos, ele convidou 450 sacerdotes de Baal para uma disputa no Monte Carmelo.

Primeiro, ele os convidou a montar um altar e soferecer sacrifícios ao seu deus, usando quaisquer rituais que desejassem para atrair um fogo do céu, mas nada ocorreu. Então, ele colocou um touro encharcado em um altar molhado e rezou a D'us para que o fogo viesse. Quando o fogo desceu, o povo viu a falácia de seus caminhos e declarou: “D'us é o Senhor!”3

5. Ele Conheceu D’us no Monte Sinai

A Rainha Jezebel, que era ainda mais desagradável do que seu marido Ahab, não ficou muito satisfeita ao saber que Eliyahus havia derrotado os sacerdotes de Baal, e ele foi forçado a fugir. Após 40 dias de caminhada (alimentado por uma refeição milagrosa fornecida por um anjo), ele chegou ao “monte de D'us, Horeb”, que é identificado como Monte Sinai. Um grande vento passou, seguido por um terremoto e um incêndio. Mas D'us não estava em nenhum deles - em vez disso, apareceu em um som baixo. D'us então ordenou que ele deixasse a Montanha Sagrada e retornasse ao povo.4

Este é o único incidente registrado de alguém na Torá que retornou ao Monte Sinai após a revelação que ocorreu logo após o Êxodo.

6. Ele Era Peludo

A Torá raramente nos dá muitos detalhes sobre a aparência das pessoas, mas um fato interessante que sabemos sobre Eliyahu é que ele foi abençoado com muito cabelo e usava um cinto de couro. Depois que o rei Ahaz caiu da cama, ele enviou mensageiros aos templos idólatras para perguntar se ele sobreviveria aos ferimentos. Um anjo disse a Eliyahu para enviar a mensagem de que ele morreria.

Depois que os mensageiros disseram ao rei que o homem que falava com eles era peludo e tinha uma faixa de couro, ele o identificou corretamente como Eliyahu. 5

Curiosidade: isso está em contraste direto com seu principal aluno, Elisha, que foi ridicularizado por ser careca.6

7. Ele Ascendeu ao Céu Vivo

A vida de Eliyahu na terra terminou da maneira mais dramática. Junto com seu aluno e sucessor Elisha, Eliyahu atravessou o Rio Jordão, que ele dividiu golpeando-o com seu manto.

Enquanto os dois caminhavam e conversavam, uma carruagem de fogo puxada por cavalos de fogo parou entre eles, e Elias foi levado para o céu.7

Leia: Eliyahu, o Profeta

8. Ele Frequentemente Retorna à Terra

A literatura judaica tem muitas referências a pessoas que interagiram com Eliyahu as centenas e milhares de anos depois que ele ascendeu ao céu. Às vezes, ele aparece para os estudiosos da Torá à noite e ensina-lhes os segredos da Torá (isso é conhecido como guiluy Eliyahu), e às vezes ele aparece no momento certo para ajudar pessoas em perigo.

Curiosidade: ele voa para realizar suas missões em quatro pulos.8

9. Cães Sentem sua Presença

O Talmud nos diz que quando os cães choram podemos saber que o “Anjo da Morte” chegou à cidade, e quando eles se mostram felizes sabemos que Eliyahu chegou.9

10. Um Midrash Leva Seu Nome

Uma obra midráshica clássica, Tana D’bay Eliyahu (“Foi ensinado na [Academia] de Eliyahu”), contém muitos dos ensinamentos que Eliyahu, o Profeta, transmitiu aos sábios de gerações posteriores, principalmente através de Rav Anan. A obra é dividida em duas seções, Seder Eliyahu Rabá (“A Grande Ordem de Eliyahu”) e Seder Eliyahu Zuta (“A Ordem Menor de Eliyahu”).

11. Ele se faz Presente em Todo Brit Milá

Em cada circuncisão, é tradicional designar uma cadeira para o Profeta Eliyahu, o “Anjo da Aliança”. Por quê? Quando Eliyahu estava no Monte Sinai, ele reclamou a D'us que o povo havia parado de circuncidar seus filhos. 10

“Eu juro”, respondeu D'us, “que sempre que Meus filhos fizerem este sinal em sua carne [isto é, sempre que houver uma circuncisão], você estará presente, e a boca que testificou que o povo judeu abandonou Minha aliança testificará que eles a estão guardando.11

Leia: Brit Milá: Circuncisão

12. Ele Também Aparece em Sedarim de Pêssach no Mundo Inteiro

Nos primeiros mil anos da história de nossa nação, o Seder de Pêssach se concentrava em sacrificar e comer o Cordeiro. Embora todas as mulheres judias fossem bem-vindas a participar, os homens só podiam fazê-lo se fossem circuncidados. 12 Assim, há um costume consagrado de abrir a porta e convidar Eliyahu, que pode “testemunhar” que todos os presentes são de fato circuncidados.

Leia: Pêssach: Abrindo a Porta para Eliyahu HaNavi

13. Ele é Identificado como Pinchás

Elias se descreve como um fanático por D'us, 13 espelhando a terminologia usada para descrever Pinchas, 14 o neto de Aharon, que agiu rapidamente contra os pecadores no tempo de Moshê.

De fato, várias fontes nos dizem que Pinchas e Eliyahu são a mesma pessoa. 15 Discute-se se isso significa que eles são literalmente o mesmo indivíduo ou que compartilham uma alma comum.

Leia: Pinchas, o Protetor da Torá

14. Mencionamos o Seu Nome Após o Shabat

Muitas pessoas têm o costume de cantar o nome de Eliyahu um certo número de vezes após o Shabat. Alguns dizem “Eliyahu Hanavi” 40 vezes, “Eliyahu Hatishbi” 40 vezes, “Eliyahu Haguiladi” 40 vezes, e depois recitam cada um novamente três vezes, concluindo com “Eliyahu Hanavi”, num total de 130 vezes. Outros recitam todos os versículos das Escrituras que o mencionam pelo nome, enquanto muitos simplesmente cantam ou recitam um hino que menciona seu nome.

Leia: Por Que Cantar Sobre Eliyahu Após o Shabat?

15. Ele irá Anunciar a Gueulá, Redenção

O Profeta Malachi diz, “Eis que vos enviarei Eliyahu, o Profeta, antes da chegada do grande e temível dia de D'us.” 16 Isto é entendido como significando que pouco antes da vinda de Mashiach—talvez três dias—Eliyahu virá à terra e anunciará a todos que a Redenção é iminente.

Leia: Preparando-se para Mashiach