Ezra, o Escriba (Ezra HaSofer) liderou a segunda onda de judeus retornando da Babilônia para Israel. Ele chefiou o renascimento religioso do povo ali no início da era do Segundo Templo. Ele também liderou os Homens da Grande Assembleia, um dos grupos mais influentes de eruditos na história judaica.

Os Primeiros Anos

Pouco se sabe sobre o início da vida de Ezra o Escriba. Ele nasceu na Babilônia numa família sacerdotal, e dedicava-se ao estudo da Torá. Em seguida foi um escriba, escrevendo livros da Torá e dos Profetas. Ele viveu na Babilônia durante as primeiras décadas de sua vida, estudando sob a orientação de Baruch Ben Neriá.1

O Primeiro Retorno a Israel

No decorrer do período do exílio babilônico, os judeus esperavam impacientes pelo dia em que o rei babilônico ou persa2 lhes permitiria retornar ao seu pais e reconstruir o Templo. Quando Ciro foi nomeado rei, seus esforços finalmente foram recompensados.

Ciro ordenou que eles tivessem permissão de voltar a Israel e reconstruir o Templo. Ele até prometeu doar provisões para o projeto.3

Estático, um enorme contingente de 42.3604 pessoas4 marchou de volta para Israel, determinado a reconstruir o Templo e restaurá-lo à sua glória anterior. Eles colocaram imediatamente os alicerces, acompanhados pela orquestra levita e pelos gritos de alegria daqueles que assistiam.5

A alegria durou pouco. Os outros habitantes do pais, sentindo-se ameaçados pela súbita imigração em massa, opuseram-se ao projeto. Subornaram oficiais para deterem a construção, postergando-a até que o reinado de Ciro tivesse terminado. O próximo rei persa, Ahasuero, era menos amigável com seus súditos judeus. Tirando vantagem disso, os habitantes enviaram cartas dizendo a Ahasuero que os judeus estavam planejando uma rebelião e espalhando revolta. Após ler aquelas cartas o rei impediu o projeto.6

O status quo permaneceu sem mudar até Dario assumir como o próximo rei persa. No segundo ano do seu reinado, os profetas Hagai e Zecharyá ordenaram aos judeus para recomeçarem a construção do Templo. Zerubabel e Jeshua Ben Jehozadak aceitaram e lideraram os esforços da reconstrução.7

Mais uma vez, porém, a notícia não foi bem aceita pelos habitantes da região.8 O Rei Dario recebeu um relato das atividades, e concordou em deixá-los continuar somente após pesquisar nos arquivos e descobrir que o Rei Ciro tinha originalmente apoiado o projeto.9 Após Dario encorajar a construção, ela continuou até finalmente a compleição do Templo quatro anos depois, no terceiro dia de Adar.10

O próprio Ezra não tinha ido com o primeiro grupo que retornava a Israel. Ele permaneceu na Babilônia durante este período, fosse para continuar seus estudos ou para evitar quaisquer conflitos com Jeshua Ben Jehozadak sobre a posição de sumo sacerdote.11

Depois que o primeiro grupo tinha partido, Ezra ganhou proeminência na comunidade judaica na Babilônia. Ele começou o processo de identificar linhagens, pesquisando genealogias e formando detalhadas listas de famílias. Quando ele deixou a Babilônia, Ezra tinha esclarecido a ancestralidade de toda família que vivia ali, identificando linhagens tribais e filhos ilegítimos.12

O Segundo Retorno a Israel

Após um longo período no qual a construção do Templo ficou parada, chegou à Babilônia a notícia de que sua construção tinha sido completada. Dessa vez Ezra não seria deixado de lado. No ano seguinte,13 o Rei Artaxerxes deu a Ezra a permissão para liderar uma imigração em Massa para Israel e a instituir as leis de D'us ali.14 Com essa garantia, Ezra começou uma campanha para devolver todos os judeus ao seu pais. Ele viajou de cidade em cidade, contando aos seus irmãos sobre o iminente retorno à Terra de Israel e a reconstrução do Templo.

Suas palavras na maior parte foram desconsideradas. A maioria dos judeus permaneceu na Babilônia.15 Muitos até pensaram que ele estava mentindo e procuraram matá-lo.16 Destemido, Ezra reuniu todos que iriam seguir, um grupo relativamente pequeno de 1.500, e partir para Israel. Levava com ele muito ouro e prata para a construção do Templo, junto com ordens do rei para o tesoureiro dar a eles amplas quantidades de trigo, vinho, óleo e sal. A jornada durou meses, e eles chegaram em primeiro de Av.17

Quando eles chegaram, celebraram oferecendo sacrifícios a D'us e dando o ouro e a prata que tinham levado para o Tesouro do Templo.18

Restabelecendo a Torá

Logo depois que Ezra chegou a Jerusalém, ele aprendeu sobre o estado espiritual dos judeus ali. Eles tinham se casado livremente com mulheres não judias do pais, e tinham deixado de manter os feriados judaicos e outros mandamentos. Devastado, Ezra rasgou suas roupas e sentou-se em luto o dia inteiro até a noite. Depois que o sacrifício noturno foi levado, ele levantou e começou a rezar em voz alta a D'us, suplicando perdão para os pecados de seu povo.19

Uma multidão lentamente se juntou para assistir a suas sinceras súplicas. Suas lágrimas também os comoveram, e por fim o grupo inteiro chorou com ele, lamentando seus pecados.20 Então Shechaniá, o filho de Jehiel adiantou-se com uma proposição. Falando como um representante do povo, ele pediu que Ezra assumisse a liderança para ajudar o povo a deixar suas esposas estrangeiras e retornar ao serviço de D'us.21

Imediatamente, Ezra criou um grupo de funcionários para esse objetivo, e fez com que todos jurassem cumprir suas instruções. Após fazer isso, ele enviou uma proclamação por toda a terra de que todos os judeus que tinham ascendido a Israel vindos da Babilônia deveriam se reunir em Jerusalém dali a três dias.22

A ordem foi respeitada. No dia designado o povo se sentou em grupos numerosos, atingidos por uma forte tempestade, quando Ezra falou com eles. Ele os censurou pelos seus erros e os encorajou a melhorar suas maneiras. Quando ele terminou de falar, a congregação em geral concordou em deixar suas esposas estrangeiras.23

Foi estabelecido um sistema por meio do qual cada cidade designava um oficial para se encarregar do povo, assegurando que eles não permaneceriam com mulheres gentias. Um a um, os homens se divorciaram e levaram oferendas de pecado. Em primeiro de Nissan, somente três meses depois, o casamento judaico foi fortalecido, garantindo a herança judaica com todos os preceitos da Torá.24

Ezra também reuniu o povo e leu a Torá publicamente, reaproximando-os com suas leis. Um dos resultados imediatos foi a renovada aderência às festas. Após escutar as leis da Festa das Cabanas (Sucot), o povo manteve o feriado com um fervor e piedade não vistos desde os dias de Yehoshua, filho de Nun.25

Naquele tempo o povo também abraçou a completa observância do Shabat.26

Chegada de Nechemiá

Embora Ezra fosse um forte líder espiritual e tivesse forte sucesso em influenciar o povo a fortalecer sua conexão com D'us, sua sincera devoção não levou a um estado econômico e militar aprovado. No decorrer dos 12 anos seguintes a situação piorou. As muralhas de Jerusalém estavam ruindo, e os inimigos rotineiramente vigiavam a área. Um senso de resignação permeava o povo. Eles aceitaram o status quo, não querendo trabalhar para mudá-lo.

Então chegou um oficial do governo judaico vindo da Babilônia, chamado Nechemiá. Ele tinha sido informado sobre a situação difícil e estava numa missão para consertá-la. Ele inspirou o povo a reconstruir as muralhas e defender-se. Logo Nechemiá foi nomeado governador sobre a área, administrando as necessidades físicas do povo judeu assim como Ezra cuidava de seu bem-estar espiritual.

Ordens de Ezra

Ezra instituiu dez importantes ordens:

  1. Que a Torá seja lida publicamente durante o serviço da tarde no Shabat.
  2. Que a Torá seja lida publicamente durante os serviços matinais na segunda e na quinta-feira.
  3. Que os juízes devem se reunir nas segundas e quintas-feiras para julgar as pessoas.
  4. Que a roupa deve ser lavada na quinta-feira em preparação para o Shabat.
  5. Que o alho seja comido na sexta-feira, em preparação para o Shabat. 27
  6. As mulheres devem assar pão cedo pela manhã para tê-lo pronto para dar aos pobres.
  7. Que as mulheres devem vestir roupas de baixo.
  8. As mulheres devem lavar o cabelo antes de imergir num micve.
  9. Que mascates deveriam circular pelas cidades vendendo cosméticos, para que estivessem disponíveis prontamente para compra.
  10. Que homens que tenham emissão noturna deveriam imergir num micve antes de estudar Torá.

Esdras é uma das poucas pessoas que supervisionou a preparação da novilha vermelha para uso no Templo como um meio de purificação.28

Escrita de Ezra

Ezra foi um escritor prolífico, autor do Livro de Ezra,29 o livro de Malachi30 e o livro das Crônicas até sua era. Ele também meticulosamente estabeleceu um modelo de texto para a Torá, escrevendo um pergaminho contra o qual todos os outros pergaminhos da Torá deveriam ser verificados quanto à exatidão. Foi mantido no Templo no decorrer do período do Segundo Templo.31 É devido à sua diligência que nossos rolos de Torá têm permanecido invariavelmente acurados até hoje.

Uma das principais realizações de Ezra foi o restabelecimento da aderência da Torá em Israel,32 assegurando que sua observância não seria perdida. Ele também estabeleceu a Grande Assembleia, que era responsável por formar a liturgia da prece, juntamente com os muitos sistemas da lei judaica que estão em uso atualmente.