Enter your email address to get our weekly email with fresh, exciting and thoughtful content that will enrich your inbox and your life.

Vayishlach

Comportamento
Viver Cada Dia

“Viver cada dia” significa conscientizar-se de que cada dia de nossa vida deve ser bem utilizado - não há tempo de sobra. É possível que nem todos os dias sejam inspiradores mas, sim, todos devem ser significativos.
Parashá Vayishlach
Adeus a um Lutador

Yaacov estava nos ensinando o segredo da identidade e da resistência judaicas. Ser judeu é possuir essa capacidade singular de dizer em toda crise: “Não vou deixá-la ir até que você me abençoe.”
Datas Chassídicas
Casamento do Rebe

O casamento foi realizado em Varsóvia, Polônia, na terça-feira à tarde, em 14 de Kislêv de 1928. Centenas de Chassidim Chabad de Varsóvia, das áreas polonesas, da Lituânia e da Rússia Branca compareceram, além de renomados Rebes e eruditos.
Parashá Vayishlach
Forças Opostas

Às vezes, somos dominados por um anseio poderoso semelhante a Essav, que arde em nosso coração como uma fornalha. Nesses momentos há somente uma coisa a fazer: você deve fechar o punho, dar um soco na face do impulso e prosseguir com a sua vida. A guerra é uma coisa feia, mas às vezes é a única esperança de sobreviver ao ataque de um inimigo que está determinado a nos matar.
Personalidades
Rabino Yosef Y. Kazen
Rabino Yosef Y. Kazen de Abençoada Memória, pioneiro do judaísmo na internet, falecido em 12 de Kislêv de 5759 - 2 de dezembro de 1998, aos 44 anos.
Parashá Vayishlach
Lutando com um Estranho na Escuridão

Existe uma batalha contínua em nossas almas entre as forças do bem e as forças do mal. Quando nós triunfamos sobre o mal, beneficiamos não somente nós, mas também o mal, cuja missão Divina é ser derrotado pelo bem.

Antes de julgar, pense:

  1. Você tem certeza de que o fato narrado realmente aconteceu? Você sabia que muitas vezes enxergamos errado?
  2. Tem certeza dos detalhes comentados? Você sabia que os exageros ou as omissões distorcem o julgamento?
  3. A outra pessoa teve intenção de prejudicar ou foi sem querer?
  4. Em que circunstâncias a pessoa estava agindo? Foi sob pressão?
  5. Os atos dessa pessoa podem ter sido resultado de erros inocentes?Será que ela agiu por incentivo externo?
  6. O que precedeu o fato? A pessoa estava estressada a ponto de afetar sua maneira de agir?

— Kolel Rio
Imprimir revista