Por Iehiel Moscovich

Quando Moshê Rabênu consultou D'us se devia mandar os Meraglím (espiões), Ele lhe respondeu "Shelách lechá" (Mande para você). Nossos sábios explicam que o povo havia solicitado os espiões, e Moshê foi pedir o consentimento de D'us. E Ele lhe disse através dessas palavras (Shelách lechá) : "É sua decisão", ou seja, Moshê é quem deve decidir.

Certamente Moshê não tinha nenhuma dúvida de que a terra (de Israel) seria boa, e que a conquistariam, como D'us havia prometido. Esta medida foi tomada somente para averiguar qual seria a melhor forma de entrar e conquistar a terra.

E mesmo que D'us já havia lhes garantido a vitória, nossos sábios nos ensinam que não devemos nos basear em milagres, mas devemos tentar fazer as coisas de forma natural. Por isso, Moshê pensou que seria boa ideia enviar os espiões. E mesmo assim, não teve fé em si mesmo, e foi se consultar com D'us.

Surge então a seguinte questão : se isso deveria ter sido feito, por que D'us não ordenou por Si mesmo, que os espiões fossem enviados? Por que deixou esta decisão nas mãos de Moshê?

A resposta para isso é simples. Justamente pelo fato de que as coisas devem ocorrer de forma natural, e os judeus deveriam se preparar da melhor maneira possível para a batalha, não havia motivo para que recebessem uma ordem expressa de D'us. Mais ainda, Ele queria que as coisas fossem feitas por própria iniciativa, naturalmente, sem Sua intervenção.

Esta é uma importante lição para nós. Assim como os judeus foram ordenados a conquistar a terra de Israel após o êxodo do Egito, nós também temos uma missão parecida, porém espiritual. Fomos incumbidos de "conquistar" a "terra", as coisas físicas nela presentes, elevá-las utilizá-las no serviço a D'us.

É importante ter um líder e consultá-lo, mas as vezes esperamos que ele esteja sempre lá para nos explicar o que deve ser feito. Que um "Moshê Rabênu" nos diga exatamente para onde devemos ir, o que devemos falar e fazer. Por isso, cada um deve avaliar quais são suas melhores oportunidades de cumprir a vontade de D'us, e aproveitá-las. Entretanto, devemos também lembrar "do que aconteceu" com os espiões. A tarefa deles era averiguar a melhor maneira de entrar na terra, e não se deveriam ou não entrar. O erro dos meraglím foi ter cumprido uma missão de forma errada, pois não foi solicitado a eles uma avaliação geral.

As tarefas essenciais que devemos cumprir não deve encontrar objeções, e a maneira de efetuá-las deve estar de acordo com a Torá. Porém, cada um deve usar sua própria capacidade e seu intelecto para realizar sua missão da melhor maneira dentro de seus limites, para cumprir a vontade Divina e aproximar Mashiach o mais breve possível.