A lista a seguir é para casamentos feitos fora de Israel. Na Terra Santa, a maioria das festas judaicas termina um dia antes, o que poderia afetar algumas das informações abaixo.

Use nosso Conversor de Datas Judaico/Civil para converter qualquer data secular à correspondente no calendário judaico.

Extremamente Auspicioso

Terças-feiras: Ao relatar a história da Criação, o terceiro dia, terça-feira, é o único em que a Torá diz duas vezes “E D'us viu que era bom.” Os Sábios interpretam isso como significando que esse dia é duplamente bom – “Bom para o Céu, e bom para as criações.”

Rosh Chodesh: O início de um mês judaico é uma data auspiciosa para um casal começar a vida de casados.

Primeiros quinze dias do mês (lunar) judaico: A lua é uma metáfora para a nação judaica, e os dias do mês em que a lua está crescente são auspiciosos para um casal contrair casamento.

11 de Tishrei: Segundo a tradição chassídica, o dia após Yom Kipur é mencionado como “Nome de D'us”.

11-13 de Tishrei: Segundo a Cabalá, os quatro dias entre Yom Kipur e Sucot são especialmente sagrados; correspondem às quatro letras do Tetragrama.

Kislev: O mês inteiro de Kislev é extremamente apropriado, como evidenciado pela Festa de Chanucá, que ocorre durante os últimos dias desse mês.

Chanucá (25 de Kislev-2 de Tevet (ou 3, dependendo do ano): A “Festa das Luzes” é uma época maravilhosa para começar um casamento de luz e felicidade. Se você está planejando um casamento em Chanucá, assegure-se de que seu casamento tenha um “sabor de Chanucá”. Uma menorá acesa deve ser colocada em local proeminente, e fale com o encarregado do bufê sobre a possibilidade de servir algumas iguarias de Chanucá – como latkes ou sonhos.1

Tu B’Shevat (15 de Shevat): “Pois um homem é [semelhante à] árvore do campo” (Devarim 20:19). O Ano Novo das Árvores certamente é uma data auspiciosa para começar um “Ano Novo de Casamento”.

Adar: Adar é o mês que “foi transformado para [os judeus] de luto em júbilo” (Esther 9:22). É considerado o “mês da sorte” para o povo judeu.

Purim Katan (“Pequeno Purim”) e Shushan Purim Katan (Pequeno Purim Shushan) (14-15 de Adar I): Essas datas semi-festivas no primeiro mês de Adar (num ano bissexto) correspondem às datas nas quais Purim e Shushan Purim são celebrados no mês seguinte de Adar.

Shushan Purim (15 de Adar): Um dia semi-festivo.

Tu B’Av (15 de Av): Esse dia possui uma ligação especial com casamentos judaicos por diversos fatos históricos que ocorreram nessa data.

Elul: Segundo a Cabalá, os traços de misericórdia e benevolência de D'us estão revelados e acessíveis durante todo o mês de Elul. Esse mês é certamente um tempo auspicioso para marcar casamentos.

Não Recomendado:

Sextas-feiras: Em consideração ao Shabat que começa ao anoitecer, os casamentos não são feitos às sextas-feiras. No passado, os casamentos judaicos eram feitos regularmente às sextas-feiras. A cerimônia da chupá era feita antes do pôr-do-sol, e a recepção, que começava após o cair da noite, era uma grande refeição de Shabat para todos os presentes.

Atualmente, os casamentos às sextas-feiras apresentam problemas demais para serem factíveis. Música, fotos ou gravações de vídeo não seriam permitidas; todos os convidados teriam de caminhar para casa etc.

Shabat: Cerimônias de casamento não são permitidas no Shabat, um dia biblicamente ordenado para repouso. Tecnicamente os casamentos podem ser feitos no sábado à noite após o término do Shabat, mas nenhum preparativo pode começar até o completo anoitecer, e isto é impossível de se observar em todos os convidados. Isso torna os casamentos na noite do sábado extremamente impraticáveis durante o inverno, e praticamente impossíveis durante os longos dias do meses de verão.

Dez Dias de Arrependimento: (4-8 de Tishrei): Devido à natureza solene dos Dez Dias de Arrependimento, teshuvá, retorno, é costume abster-se de marcar casamentos. É uma época de auto-avaliação e introspecção.

13 de Adar: O Jejum de Esther. O anoitecer introduz o feriado de Purim e a obrigação de ouvir a Meguilá – tornando impraticável marcar um casamento nesse dia.

Purim (14 de Adar2): A natureza movimentada desse Yom Tov, dia festivo repleto de mitsvot a serem cumpridas – que inclui uma refeição familiar festiva ao final do dia – o torna não apropriado para marcar um casamento.3

Dias Proibidos:

Os dias que precedem feriados judaicos bíblicos: 9 de Tishrei (o dia anterior a Yom Kipur); 14 de Tishrei (dia anterior a Sucot); 14 de Nissan (dia anterior a Pêssach); 5 de Sivan (Shavuot); 29 de Elul (Rosh Hashaná).

Feriados mais importantes, dias biblicamente ordenados como dias de repouso: Rosh Hashaná (1-2 de Tishrei); Yom Kipur (10 de Tishrei); Sucot (15-16 de Tishrei); Shemini Atseret-Simchat Torá (22-23 de Tishrei); Pêssach (15-16; 21-22 de Nissan); Shavuot (6-7 de Sivan).

Chol Hamoed: O júbilo desses dias semi-festivos exige uma completa imersão no espírito da data. Dividir nossa atenção entre a alegria do feriado e o júbilo de um casamento não seria justo com nenhum dos dois): 17-21 de Tishrei (Sucot); 17-20 de Nissan (Pêssach). 2-16 de Iyar.

Jejum de Dezessete de Tamuz (17 de Tamuz): Nesse dia começam as “Três Semanas”, um periodo nacional judaico de luto. Os casamentos não são marcados nessa data.

Nove Dias (1-9 de Av4): com o início do mês de Av, entramos nos Nove Dias, os dias mais rigorosos das tristes Três Semanas.

Costumes Diferentes:

O período de Sefirat (contagem) HaOmer abrange o segundo dia de Pêssach até 49 dias da contagem do Omer, véspera de Shavuot (23 de Nissan a 2 de Sivan) é um tempo de semi-luto. Os casamentos estão proibidos pelo menos durante 33 dias desse período de sete semanas; porém, quais desses dias estão incluídos nessa proibição depende do costume da comunidade. Fale com seu rabino para determinar quando o costume de sua família/comunidade permite que se marque um casamento.

Segundo todos os costumes, os casamentos não são marcados entre 2-16 de Iyar.

Três Semanas (18-29 de Tamuz): As três semanas entre o Jejum de 17 de Tamuz e Tisha B’Av são um período de luto nacional judaico. Os judeus askenazitas se abstêm de marcar casamentos durante todo esse período. Os judeus sefaraditas marcam casamentos até o início do mês de Av.

Dias de Jejum:

Jejum de Gedaliah (3 de Tishrei5): Um casamento marcado para essa data deve começar após o anoitecer.

Dez de Tevet: Um casamento marcado para essa data deve começar após o anoitecer.

Jejum de Esther (de Adar6- 137): Um casamento programado para esse dia deve começar após o escurecer. O cair da noite, porém, introduz a Festa de Purim e a obrigação de ouvir a Meguilá – tornando impraticável marcar um casamento nessa data.

Sem Jejum

É costume os noivos jejuarem no dia do casamento. Eles não jejuam, porém, se o casamento estiver marcado para uma das seguintes datas:

Shabat: Se um casamento estiver marcadao para o sábado à noite, os noivos não jejuam no dia do casamento.

Rosh Chodesh: (Há um debate entre autoridades haláchicas sobre se os noivos jejuam quando o casamento está marcado para Rosh Chodesh Nissan, que não isenta os noivos dessa obrigação). 11 de Tishrei: Tendo jejuado e se arrependido em Yom Kipur, todos estão presumivelmente livres de pecado nesse dia. Assim, a noiva e o noivo não jejuam se o casamento for realizado nessa data.

Isru Chag (dia após uma festa bíblica):
24 de Tishrei (Sucot-Simchat Torá): 23 de Nissan (Pêssach); 8 de Sivan (Shavuot).
Chanucá: 25 de Kislev-2 de Tevet (ou 3, dependendo do ano). Tu B’Shevat (15 de Shevat).
Purim Katan (“Pequeno Purim”) e Shushan Purim Katan (“Pequeno Purim Shshan”) (14-15 de Adar I).
Purim e Shushan Purim (14-15 de Adar).
Tu B’Av (15 de Av).