Plante-os em sua montanha sagrada, no Santuário de D’us que Suas mãos fundaram - Versículo 15:17

Disse o filho de Kapara: maiores são os atos dos justos que a obra dos céus e terra. Pois a respeito da obra do Criador está escrito: "Também Minha mão (singular) fundou a terra, e Minha mão direita construiu os céus" mas sobre a obra dos justos está escrito: "O Santuário de D’us que Suas mãos (plural) fundaram."

Talmud, Ketuvot 5a D’us transforma o espiritual num mundo físico, e o judeu transforma a fisicalidade do mundo em espiritualidade. - Rabi Israel Báal Shem Tov

Apenas um Reflexo

O Talmud relata a seguinte história:

Rabi Chanina era tão pobre, que vivia num tronco de alfarrobeira. Certo dia, sua mulher disse-lhe: "Quanto tempo ainda devemos sofrer nesta pobreza? Reze para que possamos receber o sustento."

Rabi Chanina rezou e a forma de uma mão estendeu-se do céu e deu-lhe uma perna de mesa feita de ouro.

Aquela noite, sua esposa viu os justos no Mundo Vindouro aparecerem num sonho. Todos se sentavam à uma mesa com três pernas de ouro, enquanto ela e o marido sentavam-se à uma mesa com duas pernas. Então, outra vez Rabi Chanina rezou, e a perna de ouro foi retirada deles.
O segundo milagre, conclui o Talmud, foi ainda maior que o primeiro. Pois embora as coisas possam ser concedidas pelos céus, não são tiradas de volta.

Em certa ocasião, O Lubavitcher Rebe explicou o significado oculto desta passagem.

A missão do homem na vida envolve um feito maior que a Criação do Universo por D’us. O ato da criação significou a formação de uma realidade, a partir do nada (criação ex -nihilo). Mas quando o homem cumpre a vontade de D’us no mundo, na verdade reverte o processo: demonstra que a existência física é apenas um reflexo da toda abrangente verdade de D’us – sua "imensa" massa é então vista como apenas uma fachada insignificante para uma realidade espiritual mais profunda. Então, se D’us cria algo a partir do nada, o homem transforma este algo do mundo – em nada.

É muito mais fácil para uma realidade espiritual encontrar expressão numa forma física que para algo ser despido de sua fisicalidade e reverter a um estado mais puro e mais elevado. Daí o axioma talmúdico: as coisas são dadas mais prontamente pelo céu do que são tomadas de volta. Ou, nas palavras do filho de Kapara: "Mais notáveis são os atos dos justos que a obra do céu e da terra."