Obtenha o melhor do conteúdo Chabad.org todas as semanas!
Encontre respostas para perguntas judaicas fascinantes, aproveite dicas e guias das festas, leia histórias da vida e muito mais!
ב"ה

Yitrô

Comportamento
Anochi: Inscrição da Alma

Um escritor, um orador, um compositor inscreve – grava – sua alma em sua obra. Isso lhe permite atingir dentro da alma do leitor ou do ouvinte. Palavras vindas do coração entram no coração. Uma obra que careça de sinceridade e alma não causará impacto.
Ética e Sabedoria
Torá: A Única Verdade?

O que tem prioridade, o estudo ou as boas ações? Quem é mais elevado, o puro, imaculado tsadic ou o pecador arrependido?
Misticismo
Dimensões da Montanha Fumegante

Quando meditamos sobre a imagem na montanha fumegante, devemos tentar experimentar a mistura de luz, verdade e bondade, e unir as percepções da visão e do paladar para merecermos receber a Torá novamente todos os dias.
Parashá Yitrô
A História de Yitrô
Quando Yitrô, antigo sacerdote que pesquisara todos os cultos do mundo exclamou: “Agora sei que Hashem é maior que todos os outros poderes”, realizou o maior Kidush Hashem (santificação do Nome de Hashem) possível. As nações do mundo ouviram sobre isto, e abandonaram seus ídolos, reconhecendo a futilidade de servir a imagens.
Tu Bishvat
Aparência e Realidade
Foi contado por Rabi Shimon bar Iochai que as Doze Tribos receberam porções de terra por sorteio de acordo com seus atributos distintos, a ponto que os frutos de uma certa tribo diferiam em gosto dos frutos de uma outra tribo irmã.
Parashá Yitrô
Devar Malchut: Palavras do Rebe
O primeiro dos Dez Mandamentos é: “Eu... que te tirei da terra do Egito.” Perguntam os comentaristas: Por que D-us não falou “Eu...que criei os Céus e a Terra”? Não seria mais adequado mencionar o grande milagre da criação yesh meáyin (criar algo a partir do nada), que ocorreu na criação do mundo?
Toda entidade criada possui uma centelha de Divindade dentro de si, um ponto de divindade que constitui sua alma. Quando utilizamos algo para servir ao Criador, penetramos em sua concha de mundanidade, revelando e percebendo sua essência divina. Assim, elevamos essas "centelhas", reunindo-as com sua Fonte.
— O "Ari", Rabi Isaac Luria
Imprimir revista