Enter your email address to get our weekly email with fresh, exciting and thoughtful content that will enrich your inbox and your life.

Vayishlach

Datas Chassídicas
19 de Kislev
Yud Tet Kislev é o dia no qual Rabi Shneur Zalman de Liadi, o Alter Rebe, foi libertado de seu rígido cárcere em Petersburgo, no ano de 5559 (1798).
Identidade Judaica
Rezar Funciona!

Sem dúvida a prece se constitui numa mitsvá; mas como funciona? Se é vontade de D’us que alguém fique doente, será que a oração pode mudar Sua opinião?
Parashá
Lutando com um Estranho na Escuridão

Existe uma batalha contínua em nossas almas entre as forças do bem e as forças do mal. Quando nós triunfamos sobre o mal, beneficiamos não somente nós, mas também o mal, cuja missão Divina é ser derrotado pelo bem.
Curiosidades
A Providência Divina Realmente Existe?
O universo é uma sinfonia; D'us é o maestro. Cada átomo, cada sopro de vento, cada grão de sujeira é localizado e dirigido pelo supremo computador - D'us. Isso é Divina Providência - o conceito de que D'us não criou o universo e depois Se afastou.
Festas Judaicas
Chanucá
Chanucá comemora a reinauguração do Templo Sagrado de Jerusalém, após a vitória dos macabeus. É celebrada durante oito dias através do acendimento da chanukiyá.
Ética & Sabedoria
Procura-se Emprego

Ao final de seu livro, o Rabino Chefe argumenta que criamos uma cultura da culpa, onde os cidadãos falham em assumir responsabilidade. As pessoas deveriam ser ajudadas a recuperar sua independência.
Comportamento
É Crime Sentir Ódio?
Antes de mais nada, o ódio não passa de um mal-entendido. É igualado a coisas que não é. O ódio tem sido qualificado como o mais tenebroso mal, a tal ponto que se tornou o assunto mais temido: discuti-lo está no auge do politicamente incorreto — e do melindre...
Atualidades
MP3
Todos nós temos nossas armadilhas de grãos de bico – obsessões grandes ou pequenas que nos custam a liberdade – sejam os negócios que devoram nossas famílias, caixa de e-mails que engolem os nossos dias, diversões que nos distraem de nossos objetivos maiores.

Antes de julgar, pense:

  1. Você tem certeza de que o fato narrado realmente aconteceu? Você sabia que muitas vezes enxergamos errado?
  2. Tem certeza dos detalhes comentados? Você sabia que os exageros ou as omissões distorcem o julgamento?
  3. A outra pessoa teve intenção de prejudicar ou foi sem querer?
  4. Em que circunstâncias a pessoa estava agindo? Foi sob pressão?
  5. Os atos dessa pessoa podem ter sido resultado de erros inocentes?Será que ela agiu por incentivo externo?
  6. O que precedeu o fato? A pessoa estava estressada a ponto de afetar sua maneira de agir?

— Kolel Rio
Imprimir revista