“E o fugitivo (Og) veio e contou a Avraham o Hebreu.” (Bereshit 14:13)

O gigante Og era um cínico (veja Bereshit Raba 53), mas ele podia respeitar causas humanitárias baseadas em rimas e razão. Portanto, não surpreende que quando Lot, o sobrinho de Avraham, foi levado como prisioneiro de guerra, Og foi levar a notícia a Avraham, e o encorajou a salvar seu parente.

Porém, o Midrash (Bereshit Rabá 42:8) nos diz que em sua raiz, os motivos de Og eram totalmente impuros.

As intenções de Og não eram puras em prol da salvação de Lot, mas sim, ele pensava: “Este Avraham é um zelote. Vou dizer a ele: ‘Seu sobrinho foi preso’, e ele vai sair para a guerra e ser morto. Então pegarei Sara, sua esposa.”

Pois embora a causa fosse justificada e lógica, Og não pensava realmente que Avraham poderia ser vitorioso sobre os poderosos reis que tinham levado Lot preso. Mas sim, Og zombava da natureza zelosa de Avraham, encorajando-o a assumir uma missão realmente suicida, confiando que Avraham jamais iria retornar.

Com isso vemos como é perigoso seguir somente a razão humana. Como Og, uma pessoa que é guiada e motivada somente pela lógica, e não por um ideal Divino que transcende a razão, pode justificar ter alguém morto a fim de levar a esposa daquela pessoa, e o tempo todo dizer que está fazendo a coisa certa e razoável.

Reshimot 17