O Talmud nos conta que houve 48 profetas e sete profetisas do povo judeu. O Talmud qualifica que houve muitos mais profetas – um número impressionante de 1.200.000 profetas na verdade – mas somente aqueles profetas cuja mensagem foi relevante para as futuras gerações formaram a lista.1

Aqui estão as sete profetisas da Torá:

1 – Sara

Como esposa de Avraham, Sara foi uma parceira igual em seus esforços para espalhar as crenças monoteístas e a moralidade. Avraham liderava os homens, e Sara as mulheres. 2 Ela foi originalmente chamada de Yiscá, mas Avraham a chamou de Sarai (“minha princesa/superior”) porque ela era superior a ele em suas habilidades proféticas.

Quando ela estava com 89 anos de idade, D'us ordenou que seu nome fosse mudado para Sara (que significa “princesa”) e Avram (“pai exaltado”) se tornou Avraham (“pai de muitas nações”), e eles foram logo abençoados com um filho, Yitschac.

Sara era tão sagrada que seu pão permanecia fresco durante a semana inteira, suas velas de Shabat ficavam acesas até a sexta-feira seguinte, e uma nuvem pairava sobre sua tenda. 3 Ao contar a idade de Sara na época de seu falecimento, o versículo declara que sua vida foi “100 anos, e 20 anos, e 7 anos.” Os sábios explicam que quando ela tinha 100 anos, era tão pura de pecado como uma donzela de 20; e quando tinha 20, era tão bela quanto uma inocente com 7 anos de idade.4

2 – Miriam

Os descendentes de Avraham e Sara foram para o Egito, onde foram escravizados pelo faraó. Naqueles tempos difíceis, uma menina pequena chamada Miriam (que significa “amarga”) nasceu para Amram e Yocheved.

O pai dela era o líder da geração e sua mãe era uma parteira ocupada. Determinados a não gerar mais filhos temendo serem mortos pelo decreto do faraó em eliminar todos os meninos judeus, os pais de Miriam se separaram. Miriam adivinhou que eles estavam destinados a ter o filho que iria libertar o povo judeu da escravidão, ela os convenceu a casar novamente. Daquela união nasceu Moshê, o redentor de Israel.

Miriam continuou a acreditar num futuro melhor, mesmo quando seu pai duvidou de sua profecia. 5 Quando os israelitas deixaram o Egito e cruzaram o Mar Vermelho, deixando o Egito para trás, Miriam liderou as mulheres em canto e dança. 6 E devido ao mérito de Miriam, D'us proveu o povo com uma fonte itinerante durante a maioria dos 40 anos em que eles peregrinaram no deserto.

3 – Devora

A Profetisa Devora governou Israel debaixo de uma tamareira na terra de Efraim. Uma razão para este escritório ao ar livre foi que ela estava ciente de estar sozinha com homens que iam buscar seu conselho, e portanto escolheu encontrá-los em plena vista.

A Escritura a descreve como “uma mulher de chamas (lapidot).” Os sábios entenderam isso como significando que ela teve a honra de fazer pavios para a menorá do Templo.7

Ela transmitiu a mensagem de D'us ao General Barak de que ele deveria ir à guerra contra os canaanitas, que tinham oprimido o povo de Israel. Barak concordou em ir para a guerra somente se Devora fosse com ele. Ela concordou, e Devora cantou uma canção para agradecer a D'us pela Sua libertação. A terra então permaneceu tranquila por 40 anos.8

4 – Chana (Hanna)

Chana era casada com um profeta chamado Elkana.9 Chana não teve filhos, mas a outra mulher de seu marido, Penina, foi abençoada com muitos filhos. Num feriado, ela estava tão triste que foi ao Tabernáculo e chorou, rezando em silêncio. Ela prometeu a D'us que se fosse abençoada com um filho, ela o daria a D'us todos os dias da vida dele.

Sua prece não era usual, pois foi silenciosa, apenas movendo os lábios, e Eli, o Sumo Sacerdote na época, pensou que ela estava bêbada. Quando Chana explicou que estava somente rezando, derramando seu coração a D’us, ele ficou impressionado e concordou que ela estava certa.10 Na verdade, muitas leis da prece judaica são derivadas da prece de Chana, inclusive a Amidá. Seu filho foi o Profeta Shmuel.

5 – Abigail

Abigail era a sábia e bela esposa de Nabal, um homem mordaz que era tão duro quanto um cão. 11 Após Nabal, que era tão rico quanto era mau, se recusar a dar provisões para o Rei David e seus homens, Abigail lhes deu pão, vinho, carne e frutas secas, e convenceu David a não matar seu marido.

Segundo o Talmud, ela fez isso usando provas da lei judaica.12 Dez dias depois, Nabal morreu e David e Abigail se casaram. A tradição nos conta que Abigail fez mais do que apenas dizer palavras Sábias, mas que na verdade ela profetizou para David.13

6 – Huldá

A Proetisa Huldá foi quem encorajou o Rei Josiah a continuar seu programa de renovar o Templo Sagrado em Jerusalém e reintroduzir o serviço de D'us. Depois que o rei lhe perguntou a importância do Rolo de Torá aberto encontrado no Templo, ela transmitiu a seguinte mensagem de D'us ao rei:

  • “Eu trarei uma calamidade sobre este lugar, e sobre seus habitantes – todas as palavras do livro que o rei de Yehudá leu – porque eles Me abandonaram e veneraram outros deuses… Portanto Minha ira será acesa contra este lugar, e não será saciada.
  • “Mas para o rei de Yehudá… Como seu coração foi terno e você se humilhou perante o Eterno quando ouviu o que Eu decretei contra este local e contra seus habitantes… e você alugou suas roupas e chorou perante Mim – eu escutei você. Portanto vou reunir você com seus pais, e você irá em paz para seu túmulo; seus olhos não verão todo o infortúnio que Eu trarei sobre este lugar.14

7 – Esther

A única mulher a escrever um livro da Torá, Esther foi a menina judia que se ergueu na hora certa e salvou o povo judeu – então exilado na Pérsia – do perverso Haman, que desejava acabar com eles num único dia.

Levada ao palácio do rei contra sua vontade, Esther usou sua posição como rainha para expor Haman como um trapaceiro e traidor, e seu povo foi salvo. Trabalhando junto com seu primo Mordechai, ela teve o Livro de Esther registrado para toda a posteridade,15 para ser lido todo ano em Purim, o dia em que judeus do mundo inteiro celebram a derrota de seus inimigos que foram derrotados.