Rabino Arieh Raichman

"Eu vou, bli neder", é o que Mordechai disse quando perguntado se ele viria para a aula de Torá. "Bli Neder" significa sem promessa.

De acordo com a Torá, nossa fala é um assunto que deve ser levado a sério e deve ser cumprida. Se a pessoa não cumprir com o que disser, sua falha será considerada um pecado, como se não cumprisse um mandamento positivo (a palavra de D’us). O "eu vou" mostra o compromisso de Moderchai para com a classe, enquanto o "Bli Neder" mostra o seu reconhecimento de que nem tudo está em suas mãos.

Nossos sábios nos ensinam que "bli neder" não deve ser usado apenas em termos de religião, como aulas de Torá ou ida à Sinagoga, mas também em termos de nossas atividades diárias. Se formos convidados a uma festa via Facebook, deveríamos escrever "bli neder" junto com a opção confirmativa. Se estivermos em uma loja, e dissermos que já voltaremos em um momento, devemos falar "bli neder" também. Se decidirmos mudar nosso comportamento para sermos pessoas melhores ou até mesmo perder peso, devemos adicionar bli neder.

Compromisso em escrever um Sefer Torá
Fonte dessa História: Sichat Hashavua

Em 1981, a cidade de Bnei Brak, Israel celebrou a conclusão da escritura de um Sefêr Torá especial, feito pelo Rabino Ytschac Zinger. Demorou oito anos para ser escrito, enquanto em média leva apenas um ano.

Rabino Zinger não era um sôfer, escriba. Ele era diretor de uma escola, mas tinha se comprometido a escrever uma Torá. Durante seu tempo livre, ele aprendia a habilidade e depois de escrever muitas Meguilot, ele começou a escrever o Sefer Torá. Ele mergulhava no mikvê todos os dias, e acendia duas velas antes de escrever o santo nome de D’us.

Rabino Zinger era um sobrevivente do holocausto de Groysvardin, Transylvania. No dia seguinte a seu casamento, ele foi enviado pelos nazistas para campos de trabalho. Zinger adoeceu e foi hospitalizado. Enquanto a equipe hospitalar discutia o que roubariam dele quando ele morresse (seus sapatos e cobertor), as forças russas vieram e libertaram o hospital. Depois de recuperado, ele voltou à sua cidade natal e rencontrou-se com sua esposa.

Ele vasculhou a cidade procurando outras pessoas judias e aconteceu de entrar em uma casa abandonada. Para sua surpresa, lá havia um Sefer Torá todo rasgado em pedaços. Naquele momento, ele fez uma promessa (sem dizer "bli neder") de escrever um Sefer Torá. Ele eventualmente imigrou para Israel e tornou-se professor. Sua antiga promessa sempre permanecia em sua mente. E depois de oito anos no processo, ele finalmente foi capaz de cumprí-la.

É um sentimento gratificante quando conseguimos cumprir o que havíamos nos comprometido a fazer. Mas devemos lembrar que é necessário sermos cuidadosos com o que dizemos, adicionando "bli neder" em nossos planos e projetos.