O Que é Um Seder?

O seder é uma maratona festiva que inclui ler, beber vinho, contar histórias, comer alimentos especiais e cantar.

Quando é Pêssach?

É realizado após o anoitecer na primeira noite de Pêssach (e também na segunda noite se você mora fora de Israel), e celebra o aniversário do êxodo milagroso e a liberdade de nossa nação da escravidão egípcia há mais de 3.000 anos. Os Sedarim este ano serão realizados nos dias 10 e 11 de abril, 2017.

O que há no menu?

Durante o desenrolar da noite você terá:

  • Quatro copos de vinho.
  • legumes mergulhados em água salgada.
  • matsá
  • ervas amargas, como alface romana, mergulhada em charosset (uma pasta de nozes, maçãs, peras e vinho).
  • uma refeição festiva que pode conter sopa de frango e guefilte fish.

Cada item tem seu lugar em uma combinação de 15 passos coreografados por sabores, sons, sensações e aromas que estiveram com o Povo Judeu por milênios.

O que usamos?

  • Os alimentos cerimoniais são todos dispostos em um prato especial contendo seis cavidades, chamado keará.
  • O procedimento é apresentado em um livro especial, a Hagadá. Embora o texto esteja em hebraico (com uma pitada de aramaico), é perfeitamente aceitável ler a Hagadá com a tradução em seu idioma, caso você não entenda hebraico.

Uma nota dos sábios

No seder, cada pessoa deve se sentir como se ele ou ela estivesse saindo do Egito. Começamos com a história de nossos patriarcas, Avraham, Yitschac e Yaacov e contamos a descida do povo judeu ao Egito, lembrando seu sofrimento e perseguição. Revivemos as dez pragas enviadas por D’us para punir o faraó e sua nação, sua perseguição aos judeus ao sairem do Egito até atravessar o mar de juncos. Nós testemunhamos a mão milagrosa de D'us ao separar as águas em duas paredes, permitindo que os israelitas passassem, e depois retornássem ao seu curso normal afogando as legiões egípcias.

À medida que comemos alimentos amargos de aflição e pobreza, o Êxodo torna-se realidade - tão real quanto a refeição festiva e brindes comemorativos que se seguem.

Aqui estão os 15 passos do seder, com uma breve explicação:

1. Cadesh - A Bênção sobre o vinho

O serviço do seder começa com a recitação do Kidush, proclamando a santidade do feriado. Isto é dito segurando uma taça de vinho, o primeiro dos quatro copos que iremos beber (reclinados) ao longo do seder.

As quatro taças de vinho

Por que quatro copos? A Torá usa quatro expressões de liberdade em conexão com a nossa libertação do Egito. 1 Alguns ligam-nos aos quatro grandes méritos que os filhos de Israel tinham no exílio: (1) Eles não mudaram seus nomes hebraicos; (2) eles continuaram a falar sua própria língua, o hebraico; (3) Eles permaneceram altamente morais; (4) Permaneceram leais uns aos outros. O vinho é usado porque é um símbolo da alegria e felicidade.

Por que Reclinamos

Ao beber os quatro copos e comer a matsá, nos apoiamos em nosso lado esquerdo para acentuar o fato de que somos pessoas livres. Antigamente, apenas as pessoas livres tinham o luxo de se reclinar enquanto comiam.

2. Urchatz-Lavagem

Lavamos as mãos da maneira habitual, ritualmente prescrita, como é feito antes de uma refeição, mas sem a bênção habitual.

O próximo passo no seder, carpás, requer mergulhar um alimento na água com sal. A lei judaica especifica que certos alimentos úmidos sejam comidos com um utensílio ou que as mãos sejam purificadas primeiro por lavagem. Na véspera do seder, escolhemos a observância menos comum (mas mais ideal) para despertar a curiosidade de nossos filhos.

3. Carpás - o "Aperitivo"

Um pequeno pedaço de vegetal (uma cebola ou batata cozida conforme a tradição Chabad) é mergulhado em água salgada e ingerido após recitar a bênção sobre legumes, hadamá.

Mergulhar o carpás em água salgada (depois de ter lavado nossas mãos) é parte de uma série de atos destinados a despertar a curiosidade das crianças.

A palavra hebraica carpás, quando lida de trás para frente, alude ao trabalho escravo realizado pelos 600.000 judeus no Egito. (A última letra, samech, tem o equivalente numérico de 60, representando 60 vezes 10.000, enquanto as restantes três letras hebraicas soletram perech, "trabalho duro".)

4. Yachats-Quebrando a Matsá

A matsá do meio usada no seder é quebrada em dois. A parte menor da matsá é colocada de volta. Esta matsá do meio quebrada, o "pão da pobreza", permanece visível quando contamos a história do Êxodo e será ingerida pouco depois. A parte maior é posta de lado para uso posterior como afikoman (ver etapa 12). Essa ação incomum de quebrar a matsá não só atrai mais uma vez a atenção das crianças, mas também lembra a divisão do mar de juncos por D’us, para permitir que os filhos de Israel atravessassem em terra seca.

5. Maguid— A Hagadá

Neste ponto, os pobres são convidados a participarem do seder. A keará do Seder é afastada, uma segunda taça de vinho é enchida e as crianças, neste ponto muito curiosas, cantam a clássica canção do seder, entoada especialmente por elas:

"Má nishtaná ha-laila hazé, mikol ha-leilót?” Por que esta noite é diferente de todas as outras noites? "Por que apenas matsá? Por que essa noite mergulhamos um alimento? Por que as ervas amargas? Por que nessa noite sentamos reclinando como se fossemos reis?

Os questionamentos das crianças desencadeiam um dos elementos mais significativos de Pêssach, que é o destaque da cerimônia do seder: a leitura da Hagadá, que conta a história do Êxodo do Egito. A resposta inclui uma breve revisão histórica, um narrativa de como Avraham rejeitou a idolatria e realizou um pacto com D’us, uma descrição do sofrimento imputado sobre os israelitas, uma lista das pragas impostas por D’us aos egípcios e uma enumeração dos milagres realizados pelo Todo-Poderoso ao redimir Seu povo. Concluímos agradecendo a D'us por ter nos libertado do Egito e uma prece pela Redenção Final.

6. Rachtsá—Lavagem das mãos antes da refeição

Após concluir a primeira parte da Hagadá bebendo o segundo copo de vinho (enquanto reclinados), as mãos são lavadas novamente, desta vez com as bênçãos que costumamos recitar antes de comer pão (matsá).

7-8. Motsi Matsá—Comer a matsá

Segurando as três matsot (com a quebrada entre as duas inteiras), recita-se a bênção habitual antes do pão, (matsá). Então, deixando a matsá de baixo cair de volta na keará, e segurando a matsá inteira do topo com a meia quebrada, recita-se a bênção especial "al achilat matsá". Em seguida, quebra-se um pouco da matsá superior e um pedaço da matsá do meio, e come-se as duas juntas enquanto reclinados.

9. Maror—As ervas amargas

Pegue um punhado de ervas amargas. Mergulhe no charosset, sacuda um pouco e fale a bênção “al achilat maror.” Coma sem reclinar-se.

10. Korech—O sanduiche de Hillel

De acordo com a prática de Hillel, o grande sábio talmúdico, um sanduíche de matsá e maror é ingerido no seder. Quebre dois pedaços da matsá de baixo. Novamente, pegue um punhado de ervas amargas e mergulhe no charosset, sacudindo um pouco. Coloque no centro, entre os dois pedaços de matsá, e diga "kein asá Hillel ...", “Assim fez Hillel” e coma o sanduíche, enquanto reclinado.

11. Shulchan Orech—A refeição

A refeição é servida agora. Começamos comendo um ovo cozido mergulhado em água salgada. Tradicionalmente associado com luto, o ovo nos lembra que em nossa refeição falta o cordeiro sacrificial.

Nota: O zeroa (pescoço de galinha queimado colocado na keara), não é comido no Seder.

Passover stories to share at the meal

12. Tsafun—Afikoman, pedaço da matsá separada

Após a refeição, o pedaço da matsá do meio que foi separada e “escondida” para afikoman, “sobremesa” é retirada e ingerida. Ela simboliza o cordeiro pascal que nossos antepassados comeram ao final de seu seder de Pêssach. Todos devem comer o afikoman reclinados, antes da meia-noite. Após comer o afikoman não comemos nem bebemos nada, exceto os dois copos restantes de vinho.

13. Berach—Bênçãos Após a refeição

Um terceiro copo de vinho é enchido e a Prece Após a Refeiçnao (Bircat Hamazon) é pronunciada. Então recitamos a bênçnao sobre o vinho e bebedos o terceiro copo reclinados.

Agora enchemos o copo de Eliahu Hanavi, o Profeta Elias, e nosso quarto copo de vinho. Abrimos a porta da entrada de nossa casa e recitamos a passagem convidando o Profeta Elyiahu, que anunciará a chegada de Mashiach, nosso justo Messias.

14. Halel—Cânticos de Louvor

Nesse ponto, tendo reconhecido o Todo-Poderoso e Sua proteçnao e orientação ao povo judeu, cantamos louvores enaltecendo o Senhor do Universo. Após recitar o Halel, recitamos novamente a bênção sobre o vinho e bebemos o quarto e último copo do seder, reclinados.

15. Nirtsá—Aceitação

Tendo realizado o serviço do seder e realizado o mesmo corretamente, temos a certeza de que ele foi bem recebido pelo Todo-Poderoso. Então pronunciamos: "Leshaná haba'á b'Yerushalayim-!”, “No Próximo ano em Jerusalém!"