Rabino Ilan Stiefelmann

Após a 2ª Guerra Mundial, dois amigos – Engel e Mordechai – se reencontraram em um campo de refugiados e decidiram solicitar um visto canadense. Como um dos pré-requisitos indispensáveis era o gozo de uma saúde perfeita, Engel, que tinha contraído tifo, teve o seu visto negado, ao passo que Mordechai recebeu o seu.

Chegada a hora da despedida, Engel desatou a chorar: "O que será de mim? Acho que acabarei ficando aqui para sempre. Mesmo depois de me recuperar, em que país serei aceito? O que será da minha vida? Nunca serei capaz de construir um lar judaico, ter filhos!"

Mordechai Greenfeld sensibilizou-se tanto com as palavras do amigo que, movido por uma força sobrenatural e um altruísmo extraordinário, cedeu-lhe o seu próprio passaporte contendo o tão almejado visto, dizendo: “A partir deste momento, o seu nome não é mais Engel, mas Mordechai Greenfeld. Vá e salve a sua vida!"

Desolado mas realizado, Mordechai retornou ao campo dos refugiados. Depois de algum tempo ele acabou conseguindo usar um outro visto para o Canadá – de alguém chamado Weinberger, que morreu antes de poder utilizá-lo.

Finalmente Mordechai Greenfeld – agora Mordechai Weinberg – chegou ao Canadá. E pelo mérito da maravilhosa Mitzvá que praticou, o bom D-us recompensou-o com muito sucesso em várias áreas. Ele faleceu em 2015.

Conta-se que certa vez ele perguntou ao Rebe de Vizhnitz se deveria voltar a usar o seu sobrenome anterior, Greenfeld. O Rebe respondeu-lhe: "Sempre que o nome 'Mordechai Weinberger' é mencionado, isso cria uma grande agitação no Céu, pois evoca o seu ato de bondade e amor tão nobre e incrível. Não abra mão disso!"

“Ano Novo das Árvores” –Tu Bishvat

A Torá compara o ser humano à árvore, e os nossos sábios traçam vários paralelos interessantes entre os dois.

Será que alguém já parou para pensar por que as árvores dão frutos?

Explico a pergunta: não há uma criatura no mundo que faça algo somente pelo bem do outro, sem nenhum interesse próprio. Será que a vaca dá leite para o nosso café da manhã? Lógico que não, ela o produz para os seus filhotes mamarem e nós o pegamos sem pedir licença... Será que a ovelha fornece lã para o nosso casaco de inverno? E a galinha, será que ela bota ovos visando o nosso omelete?

A única criatura que produz algo sem interesse nenhum a não ser favorecer o próximo é a árvore. E se somos comparados a ela, temos de aprender a agir pelo bem do próximo sem nenhum interesse!