Por Rabino Shabsi Alpern
Publicado na BCNews Novembro 2014

O que você faz quando fica preso no trânsito? Ouve música, talvez. Ou um pro- grama de rádio (sobre política, de esquerda ou direita, conselhos, notícias, esportes.) Quem sabe você fala ao celular resolvendo negócios, fazendo planos, falando com os filhos, dando ordens, relatando a paralisação causada pelo tráfego bem à sua frente? Ou você simplesmente fica ali sentado, mas cada vez mais frustrado com o passar do tempo, cada vez mais furioso?

E quando você está aguardando por uma consulta médica? Na verdade, a pergunta se aplica a qualquer local onde ficamos esperando - seja em um departamento do governo, comercial, algum escritório legal. No consultório você lê as revistas ultrapassadas, já lidas, técnicas demais, populares demais, assuntos entediantes? Ou tenta cochilar, geralmente escutando as conversas que ocorrem à sua volta?

O que você faz quando está parado numa fila? Leva consigo um livro aonde quer que vá, só para garantir? Talvez um um ipod, ipad, um iphone? Fica olhando em volta da sala, contando quantos furos há no forro, ou quantos telefone- mas a recepcionista recebe antes de atender um cliente? Você tenta conversar com a pessoa à sua frente, atrás de você ou com último da fila? Ou fica ali, sonhando acordado, mas cada vez mais frustrado, porque após cada cliente atendido o funcionário desaparece por cinco minutos?

Passamos muito tempo esperando, um tempo enorme à toa. Os minutos vêm, os minutos vão, os minutos passam. Mas o tempo em espera não precisa ser desperdiçado. Há uma maneira de transformá-lo em tempo judaico. Leia um capítulo dos Salmos. São breves. Estão traduzidos, E cada versículo reverbera pelos reinos espirituais.

Leia a sabedoria em Mishnê Torá de Rambam. Maimônides transforma todos nós em eruditos. Leia um pouco do Tanya ou baixe um aplicativo em seu fone. Aprenda sobre suas duas almas, o que significa amar seu irmão judeu como a si mesmo, como vencer a preguiça ou a depressão.

Descubra a anatomia da alma.