Quando D'us ordenou aos Filhos de Israel para construírem um Santuário, disse a eles também para acenderem a Luz Perpétua (Ner tamid). Sobre isso nossos Sábios nos dizem que D'us disse aos Filhos de Israel:

“Minha luz está em vossas mãos, e vossa luz está em Minhas mãos.”

Que luz de D'us temos em nossas mãos? É a luz de toda mitsvá, como está escrito: “Uma mitsvá é como uma vela, e a Torá é luz (Provérbios 6).

Qual luz nossa está nas mãos de D'us? É nossa alma, nossa própria vida, pois está escrito: “A alma do homem é a vela de D'us” (Provérbios 20).

Toda mitsvá que um judeu cumpre ele cria uma luz, ilumina sua própria alma e o mundo ao redor. Essa luz é a fonte de vida e felicidade.

Por que uma mitsvá é comparada a uma vela?

Porque quando alguém está a ponto de cumprir uma mitsvá, que com frequência significa fazer um esforço especial ou gastar algum dinheiro, como no caso da tsedacá, por exemplo, o yetser hará (má inclinação) tenta interferir, dizendo:

“Por que gastar seu bom dinheiro numa mitsvá? Por que doá-lo a estranhos? Melhor guardar para si mesmo, ou para seus filhos!”

Então o yetser tov (a boa inclinação) faz ouvir sua voz:

“Não escute aquele mau conselho, pois uma mitsvá é como uma vela. Quando você acende uma vela a partir de outra, isso torna a luz da vela original menor? Você pode acender muitas velas a partir de uma vela acesa sem reduzir sua luz, e ao mesmo tempo, pense em quantas luzes você pode produzir e multiplicar. Portanto o mesmo ocorre com uma mitsvá; todo dinheiro que você emprega nela, não lhe custará nada, pois D'us certamente o devolverá a você, e muito mais!”