Enter your email address to get our weekly email with fresh, exciting and thoughtful content that will enrich your inbox and your life.

Bereshit

Judaísmo na Prática
Ahavat Israel

Não somos uma religião. Somos uma alma. Uma única alma irradiando para muitos corpos, cada raio brilhando em sua missão única, cada corpo recebendo a luz segundo a sua capacidade, cada personificação desempenhando seu papel crucial.
Parashá Bereshit
“Que Haja Luz!”

“Luz” é o propósito de cada judeu: transformar sua situação e ambiente em luz. Não meramente afastando a escuridão (o mal) evitando o pecado, mas transformando a escuridão em luz, comprometendo-se positivamente com o bem.
Ciclo da Vida
Aniversário
O aniversário ensina o conceito de renascer. Festeja-lo é celebrar um novo começo. Não importa como as coisas transcorreram ontem, ou ano passado, temos sempre a capacidade de tentar de novo. Nossos sábios explicam que no dia do aniversário, com nossa sorte aumentada, torna-se o momento oportuno para fazer um balanço de nossas realizações passadas e assumir novas decisões.
Parashá Bereshit
D'us Criou o Mundo?
A crença num Criador Sobrenatural tanto é fundamental ao judaísmo como é uma questão de pura lógica. Não há nada em toda a existência que não tenha uma fonte. Crer que este mundo lindo e complexo passou a existir por acaso é totalmente ilógico.
Curiosidades
Dormimos Demais?

Dormir significa que temos a capacidade de não apenas melhorar, como transcender a nós mesmos. De abrir um novo capítulo na vida que não está previsto nem habilitado por aquilo que fizemos e fomos até agora. De nos libertar das restrições do dia de ontem e construir um ser novo, recriado.
Ética e Sabedoria
Pura Determinação
A certeza absoluta de que você é precioso e indispensável; que está numa missão para vencer uma causa; que o local e o tempo em que você se encontra são exatamente onde deveria estar; e que você tem o poder de deixar sua marca única no universo.

Antes de julgar, pense:

  1. Você tem certeza de que o fato narrado realmente aconteceu? Você sabia que muitas vezes enxergamos errado?
  2. Tem certeza dos detalhes comentados? Você sabia que os exageros ou as omissões distorcem o julgamento?
  3. A outra pessoa teve intenção de prejudicar ou foi sem querer?
  4. Em que circunstâncias a pessoa estava agindo? Foi sob pressão?
  5. Os atos dessa pessoa podem ter sido resultado de erros inocentes?Será que ela agiu por incentivo externo?
  6. O que precedeu o fato? A pessoa estava estressada a ponto de afetar sua maneira de agir?

— Kolel Rio
Imprimir revista