A maneira mais certa de aferir o sucesso de alguém no processo do auto refinamento é observar o comportamento do cônjuge para com ele. Tanto consciente como inconscientemente, o cônjuge sente a pureza de seus motivos e reage de acordo, tanto intencional como instintivamente.

Num sentido mais amplo, isto é verdade a respeito de todos os relacionamentos inter-pessoais. "Como [olhando para] a água, a face reflete a face, assim o coração de alguém acha seu reflexo em outro" (Provérbios 27:19)." Dessa maneira, em concordância coma natureza e extensão do envolvimento de alguém com outra pessoa, pode-se medir o auto-refinamento de alguém pelo modo como é tratado.

Como o casamento é a forma mais intensa de relacionamento inter-pessoal, este princípio aplica-se primeiramente à vida conjugal. É aqui que a pessoa confrontará de forma mais notável seus sucessos e fracassos no auto-refinamento, espelhados no comportamento do cônjuge para consigo.

Em geral, esta atitude recíproca entre os cônjuges está em um dos três níveis, conforme o estágio de retificação da imaginação.

Se o marido ainda está trabalhando sob as noções falsas e egoístas de amor e romance, seu comportamento certamente refletirá isso, e a mulher naturalmente se ressentirá de seu egocentrismo e competirá contra ele. Seu relacionamento - aquele de dois indivíduos não-relacionados ocupando "espaços" separados e opostos - será caracterizado por fricção freqüente e dolorosa. Alienada de um marido que ela sente não se interessar de coração por ela, a mulher se desconectará dele, e negligenciará suas obrigações de esposa.

Assim que o marido se desembaraçar de sua imaginação impura, pode começar a trabalhar em si mesmo. Começa gradualmente a redirigir suas intenções de cumprir a vontade de D'us em todos os caminhos da vida, (particularmente em seu casamento), sentir a raiz da alma sua e de sua mulher, e a refinar seu caráter. Embora não tenha ainda completado este processo, sua esposa sentirá este esforço genuíno e reagirá esforçando-se para ajudá-lo e apoiá-lo.

Apesar disso, até que o processo esteja completo, ela manterá um senso próprio separado. Os dois verão seu casamento como um relacionamento mutuamente vantajoso, onde cada um é feliz e pronto a dar, ao mesmo tempo em que espera receber em retorno.

Se o marido tem sucesso em todas as áreas acima - purificando suas intenções de forma a que sua única motivação seja cumprir a vontade de D'us, afinando-se com a raiz da alma, sua e da esposa, e refinando seu caráter, sempre colocando as necessidades de outros acima das suas - as consciências do casal tornar-se-ão uma só. Sua absoluta devoção à vontade dela a inspirarão a devotar-se proporcionalmente a ele: "como [olhando para] a água, a face reflete a face, assim o coração de alguém acha seu reflexo em outro" (Provérbios 27:19). Ela sentirá que é parte indivisível dele, e todos os seus atos refletirão uma total devoção a ele.