Na cosmologia da Cabalá, a atual ordem da realidade é a versão retificada de vários estágios imaturos da criação que o precedeu. (A palavra precedeu deve ser entendida como uma alegoria, pois o tempo como o conhecemos começou com a criação da ordem presente.) As ordens prévias da criação foram caracterizadas pela desunião entre as forças criativas que as governavam: cada força criativa buscava seu próprio curso de ação sem considerar o efeito que isso poderia ter sobre suas forças irmãs, nem o efeito que suas forças irmãs poderiam exercer sobre ele. O resultado foi o caos, que levou ao colapso destes universos.

Em contraste, na ordem presente, pelo menos em sua forma idealizada, as forças criativas que D'us utilizou e utiliza para criar e manter o mundo agem em harmonia, cada uma levando em consideração a personalidade de todas as outras. Isso torna-se possível pelo fato de exibirem a inter-inclusão, isto é, cada força criativa possui em sua própria constituição algo de todas as outras. A presença deste elemento do outro dentro de si permite que interaja construtivamente com o outro. Desta forma, a criação na verdade reflete a unidade subjacente que possui em virtude de ser a criação de um D'us.

O amadurecimento da criação pode de certa forma ser comparado ao modo como uma criança amadurece até transformar-se num adulto. Uma criança possui os mesmos traços de personalidade que um adulto, mas eles existem num pandemônio desordenado. Seus desejos e exigências são poderosos mas não são mitigados. Quando quer alguma coisa, acha difícil, se não impossível, levar em consideração o impacto que satisfazer este desejo pode ter sobre outros desejos, no momento sob controle. O processo de amadurecer até ser adulto é em grande parte aprender como equilibrar a natureza unilateral destes desejos à luz de sua completa gama de motivos. Para que este processo aconteça, o egocentrismo da criança deve ser reprimida, enquanto gradualmente percebe que deve moderar a busca de seus próprios interesses efêmeros em favor de objetivos maiores, mais altruístas e de longo prazo. O trauma deste despertar e a conseqüente auto-redefinição pelos quais a criança deve passar é a maior característica da adolescência.

A característica da atual ordem de criação retificada, então é a inter-inclusão. Todo processo, modelo ou sistema ou organização bem sucedidos devem evidenciar esta qualidade. E ao contrário, qualquer processo que não possua esta qualidade é considerado não retificado, pertencendo à ordem prévia da criação, e hostil a esta ordem e seu progresso rumo à perfeição. Esta, na verdade, é a definição do mal segundo a Cabalá.

Portanto, o potencial do modelo triplo de crescimento espiritual do Báal Shem Tov como um caminho para a retificação evidencia-se completamente quando cada estágio é visto como uma inter-inclusão de todos os três. Como estruturamos o processo terapêutico conforme este modelo, o mesmo é verdade para ele: cada uma das três técnicas de supressão, ignorância e articulação estarão presentes como sub-estágios dentro de todos os três.

Portanto, detalharemos o completo processo terapêutico em termos deste princípio de inter-inclusão.