Por Yaacov Lieder
Certa vez, quando uma das minhas filhas tinha onze anos, queixou-se de uma dor no joelho. Como eu não via nada de errado com o joelho, sugeri que provavelmente eram as dores do crescimento. Minha filha não aceitou a explicação. "Por que não podemos crescer sem dor?" reclamou ela.

Infelizmente, na vida real, o crescimento muitas vezes é associado com dor. Como diz o famoso ditado: "Não há lucro sem sofrimento." Embora não possamos ter controle sobre a parte da "dor", especialmente quando é causado por outros, na maioria das vezes podemos controlar a parte do "lucro".

Geralmente nosso aprendizado e crescimento na vida não vêm das fases boas, mas sim dos tempos difíceis. Durante o período bom ficamos felizes e não queremos que nada mude. É durante a época difícil, quando estamos sofrendo com a situação, que aprendemos como mudar as coisas – como tornar o mundo melhor do que é.

Quando a vida nos lança desafios, temos uma opção. Podemos sentir pena de nós mesmos, chorar e reclamar: "Por que eu?" Ou podemos parar e dizer a nós mesmos: "O que posso fazer, devido às novas circunstâncias que surgiram?"

Certa vez perguntei a um senhor idoso, muito sábio, a quem eu costumava pedir conselhos: "Onde você arruma todo este bom senso?" Ele respondeu: "O bom senso vem com a má experiência." E relatou-me a seguinte história, que teve um profundo efeito sobre mim.

Um dia, um burro caiu num buraco. O animal gritou e chorou durante horas, enquanto seu dono tentava pensar em algo a fazer. Finalmente, o fazendeiro resolveu que, como o animal era velho, e o buraco precisa ser coberto de qualquer maneira, ele simplesmente enterraria o burro velho ali. Pegou uma pá e começou a encher o buraco. O burro continuava a chorar, mas depois ficou em silêncio, Após uma hora de trabalhar furiosamente com a pá, o fazendeiro fez uma pausa para descansar. Para sua surpresa, viu que o velho burro saltava para fora do buraco e saía trotando!
A princípio, quando o burro percebeu o que estava acontecendo, chorou ainda mais sentidamente. Mas então o esperto animal bolou um plano. A cada pá de terra que batia no seu lombo, ele a sacudia para o chão e pisava em cima da pilha crescente de terra. Finalmente, o monte ficou alto o suficiente para que ele pudesse sair do buraco.

A vida é como terra que a pá joga em cima de você. O truque para sair do buraco é sacudi-la e pisar em cima. Podemos sair dos buracos mais fundos, não ficando parados e jamais desistindo. Apenas sacuda a terra e pise em cima.

Tente, funciona!