Por Rabino Aron Moss – Sydney, Australia
Pergunta:
Eu acho que religião é uma muleta. D’us é para fracos e necessitados. Será que a gente não possui dicernimento e força para enfrentar a vida sozinho?



Resposta:
Você tem razão. Religião é uma muleta, um sinal de fraqueza humana. E para ser honesto, a religião não é minha única muleta. Sou tão fraco, que preciso de uma série de mecanismos de apoio para poder me manter e ir em frente.



Preciso de alimento. É embaraçoso admitir, mas sou completamente dependente de comida. Sem ela provavelmene não terei forças para fazer grande coisa. Meu corpo não se nutre por si só. Ele precisa de ajuda externa. Então, eu como.



Também possuo uma muleta emocional. Preciso de outras pessoas. Se não fosse pelo apoio de minha família e amigos eu com certeza não estaria onde estou hoje. E já que estamos falando sobre este assunto, sou completamente dependente de meus sapatos. Meus pés ficariam realmente doloridos sem eles.



O homem é um ser muito frágil. Não somos auto suficientes. Dependemos de meios externos para nossa sobrevivência. Precisamos ser alimentados, ser amados, e precisamos de sapatos. Agradeço a D’us todos os dias, pois é Ele que me fornece alimento, família e calçado. Mas sobretudo, eu O agradeço por me dar um propósito na vida. Da mesma forma que não posso ser nutrido sem recorrer às fontes externas, não posso dar sentido real a minha vida se não procurar além de mim mesmo.



Talvez isto me torne fraco. Mas penso que me fornece força. Mesmo se estiver com fome, solitário ou descalço, contanto que eu tenha um propósito Divino na vida, posso enfrentar qualquer desafio.