1. Ao mestre do canto, um salmo de David.
  2. Bem-aventurado aquele que atenta para o debilitado; no dia de seu infortúnio o Eterno o livrará.
  3. Ele o guardará e o fará viver, será feliz na terra e não será entregue às mãos de seus inimigos.
  4. Na enfermidade o Eterno lhe dará amparo; seu leito guardará quando uma doença o acometer.
  5. Eu pedi: “Concede-me Tua graça, ó Eterno, e cura minha alma, mesmo tendo eu pecado contra Ti.”
  6. Meus inimigos só me desejam mal: “Quando perecerá e quando será erradicado seu nome?”
  7. Se vêm me visitar, são insinceros; maldade lhes preenche o coração, e ao sair só notícias más divulgarão.
  8. Se unem para, contra mim, murmurar todos meus detratores, e pensamentos malévolos a mim dirigem:
  9. “Maligna doença o acometeu. Caído está e não conseguirá se reerguer.”
  10. Até o amigo em quem confiei, e que partilhava de meu pão também me traiu.
  11. Mas Tu, ó Eterno, compadeceste de mim. Levanta-me e lhes darei a resposta merecida.
  12. Saberei assim que que Te comprazes em mim e que, portanto, não triunfará sobre mim meu inimigo.
  13. Incólume me sustentarás e em Tua presença me manterás para sempre.
  14. Bendito seja o Eterno, Deus de Israel, para todo sempre. Amen! Assim seja!