Igor Green era adolescente na época do Holocausto. Ele passou pelos horrores da guerra e sobreviveu ao lado de seu pai. Ele conta que em uma noite fria de dezembro viu um guarda nazista dando para o seu pai um pouco de manteiga. Em seguida o seu pai tirou do bolso uma pequena Chanukiá, rasgou um pedaço de pano de sua roupa para fazer os pavios e usou a manteiga como combustível. Essa foi a forma que encontrou para comemorar a 1ª noite de Chanucá.

Igor conta como ficou revoltado. O seu pai estava colocando em perigo a sua vida e a de todos que ali se encontravam, mas a indignação dele não se deveu a isso.

Igor se aproximou do seu pai e exclamou: "Manteiga?! Nós estamos passando fome, desnutridos, e você queima calorias vitais para a nossa sobrevivência?"

"Ao ouvir isso, o meu pai olhou para mim intensamente", relembra Igor com emoção,e disse: 'Se há uma coisa que Auschwitz me ensinou, foi que podemos viver dias sem comer, mas não podemos viver nem mesmo um momento sem luz!"

* * *

Vivemos uma época de grande escuridão. Os verdadeiros valores estão cada vez mais se perdendo, e até mesmo o instinto mais forte - o de sobrevivência - vem sendo ignorado por pessoas e grupos que estão prontos a dar a vida contanto que matem outros junto. "Não podemos viver nem mesmo um momento sem luz" - porque luz é propósito, luz é esperança, luz é fazer o bem apesar das dificuldades.

Como nos ensina o sábio Rei Salomão: "Um pouco de luz dissipa muita escuridão" - por mais intensa que seja a escuridão, ela não resiste a um pouco de luz.

Estamos comemorando oito dias de Chanucá. Participe você também dessa corrente de luz - acenda a sua vela de Chanucá, ilumine o seu lar, o seu entorno, faça a sua parte em trazer luz, colaborando assim para diminuir a escuridão e ignorância do mundo.

Chanucá Sameach!