O Talmud contém muitas histórias de como pessoas que cumpriram a lei de maasser, dízimo, foram amplamente recompensadas. Aqui, segue uma delas.

Vivia antigamente em Israel um fazendeiro cuja terra produzia mil medidas de trigo, ano após ano. Como era um judeu piedoso que cumpria as mitsvot da Torá, seu primeiro ato após a colheita era separar a décima parte da produção, o maasser. Neste caso, isso representava cem medidas de trigo, o que era uma fortuna substancial. Mas o fazendeiro alegremente a doava aos servos de D'us no Bet Hamicdash e aos necessitados. As restante novecentas medidas eram mais do que suficientes para prover todas suas necessidades, com uma respeitável soma em economias.

O homem estava se tornando mais próspero a cada ano. Chegou a hora de deixar este mundo, e o piedoso e sábio fazendeiro chamou seu único filho a seu leito.

"Querido filho," disse o moribundo, "D'us está me chamando, e estou feliz por ir-me, pois tive uma boa vida, de acordo com os mandamentos de nossa sagrada Torá. Tudo que possuo agora será seu, para fazer como desejar. Porém quero lhe dar um conselho. Nossa terra produz mil medidas de trigo por ano; nunca deixe de doar maasser, e ela não o desapontará."

O homem se foi, e o filho tornou-se o proprietário da fazenda. Quando chegou a época da colheita, a terra produziu mil medidas de trigo, como sempre o fizera. O filho separou cem medidas para maasser, como o pai havia feito.

Passaram-se doze meses, e novamente chegou a hora de dar maasser. Desta vez, a posse da riqueza teve uma má influência sobre o jovem. Decidiu que seria uma pena doar tal fortuna, e deu apenas noventa medidas, em vez das costumeiras cem partes.

No ano seguinte, porém, a terra produziu não as mil medidas, mas novecentas.

Vendo sua renda decrescer, o jovem fazendeiro decidiu compensar parte da perda reduzindo o maasser. Em vez de doar novecentas medidas, deu oitocentas.

Esperou pela colheita do ano seguinte com impaciência. Para sua consternação, a terra produziu apenas oitenta medidas!

Acha que o jovem percebeu que estava fazendo um jogo perigoso?

Na verdade, não. Tornou-se teimoso, e continuou reduzindo a quantidade de maasser. Finalmente chegou a tal ponto que sua terra produzia apenas cem medidas, exatamente a quantia que era doada nos belos tempos em que seu pai ainda vivia.

O tolo rapaz encheu-se de fúria e pena. Convidou os amigos e parentes para irem à sua casa consolá-lo pela má sorte.

Na hora marcada, chegaram os convidados. Porém, ao invés de serem simpáticos e tentarem confortá-lo, agiram como se tivessem vindo para celebrar.

O homem perdeu a calma. "Vieram aqui para insultar-me, e zombar de meu infortúnio?" - gritou aborrecido.

"Longe de nós," replicaram alegremente os convidados, "viemos para celebrar com você a transferência de sua terra, de suas mãos para as mãos de D'us. Veja, até agora você tem sido o proprietário dos campos, e tem entregado a décima parte da produção a cargo de D'us. Agora, entretanto, D'us possui a terra, e você é Seu encargo, recebendo um décimo do que a terra pode produzir. Assim, você faz parte dos contingentes de levitas, e viemos parabenizá-lo..."

O jovem então compreendeu a lição que os amigos lhe ensinaram. Decidiu mudar seus modos perversos. Como estavam certos os sábios ao dizerem: "Asser, bishvil shetis'asher", "Doe a décima parte e se tornará rico."