Yizkor em hebraico significa "lembrar". Nós somos abençoados com a memória,com a qual podemos transcender não só o tempo, mas o espaço e ainda os limites do mundo físico.

Mas é mais que uma prece de lembrança, é um tempo para os parentes do falecido se conectarem com as almas de seus entes queridos num nível mais profundo; a tradição diz que durante a prece de Yizkor as almas dos falecidos descem do céu e se juntam àqueles que lhes são mais próximos.

Ao lembrarmos dos entes queridos, rompemos a barreira que separa este mundo físico (onde nos encontramos) e o mundo espiritual (onde se encontram os que partiram), criando assim uma forte conexão de almas. E não há conexão mais forte que recitá-lo no dia de Yom Kipur, quando as almas também são julgadas e nós as ajudamos com o mérito da oração e da tsedacá (caridade).

Portanto durante o Yizkor estipulamos uma quantia de tsedacá, a ser doada em mérito aos entes queridos que já partiram. E importante doar lna primeira oportunidade após o final do feriado, para não reter as almas atadas (cabalá).

Quando recita-se o Yizkor?

No primeiro ano de falecimento de um pai ou mãe, o enlutado permanece na singoga para escutar o Yizkor, mas sem pronunciá-lo. Completado um ano deverá pronunciar o texto do Yizkor.

O Yizkor é um momento introspectivo para reflexão sobre aqueles que já partiram, honrando seu nome e tomando boas decisões para perpetuar e engrandecer seu nome.

É recitado quatro vezes ao ano:
• Yom Kipur
• No Oitavo dia de Sucot
• No Oitavo dia de Pêssach
• No Segundo dia de Shavuot