Humildade, esplendor

Se a tolerância é o motor da vida, a humildade é o combustível. Assim como guevurá (disciplina) focaliza o chesed (amor), HOD dá netzach (tolerância). Humildade é o parceiro silencioso da tolerância. Sua força reside em seu silêncio. Seu esplendor está em seu repouso.

Humildade - e a conseqüente submissão - não deve ser confundida com fraqueza e ausência de auto-estima. Humildade é modéstia; é o reconhecimento (da raiz da palavra hebraica "hoda'a"). É dizer "muito obrigado" a D'us. É aceitar suas qualidades e forças, reconhecendo que elas não lhe pertencem; foram concedidas a você por D'us, para um propósito mais elevado que o de apenas satisfazer suas próprias necessidades. Humildade é modéstia; é reconhecer o quão pequeno você é, o que lhe permite entender quão grande pode se tornar. Isso é o que torna grandiosa a humildade.

Tolerância suga sua energia do reconhecimento da humildade. A resistência humana vai apenas até seu nível de tolerância. Reconhecer que suas forças vêm de um local mais elevado lhe dá o poder de tolerar muito além de sua capacidade presumida. Concede a você parte da força de tolerância de D'us.

Uma xícara repleta não pode ser enchida. Quando você está repleto consigo mesmo e suas necessidades, "Nada mais sou," não há espaço para mais. Quando você "esvazia" a si mesmo perante algo maior que você, sua capacidade de receber aumenta além de seus limites prévios. Humildade é a chave para a transcendência; para atingir além de si mesmo. Apenas a verdadeira humildade lhe dá a força da objetividade total.

Humildade é sensibilidade. É uma vergonha saudável que vem do reconhecimento de que você pode ser melhor do que é e que pode esperar mais de si mesmo.

Embora a humildade seja silenciosa, não é um vácuo. É uma expressão dinâmica de vida que inclui todas as sete qualidades de amor, disciplina, compaixão, tolerância, humildade, vínculo e soberania. A humildade é ativa, não passiva, não é um estado, mas uma interação mesmo na sua calma e ausência de ação.

Chesed de Hod

Examine o amor na sua humildade. Humildade saudável não é desmoralizante; traz amor e alegria, não medo. Humildade que carece de amor precisa ser reexaminada para ter sua autenticidade conferida. Às vezes, humildade pode ser confundida com baixa auto-estima, o que a faria tornar-se desamor.

Humildade provoca o amor porque dá a você a habilidade de elevar-se acima de si mesmo e amar outra pessoa. Arrogância à guisa de amor significa amar a si mesmo, ou ainda pior: tornar os outros uma parte e uma extensão de você mesmo e de seu auto-amor.

Minha humildade faz-me ser mais amoroso e generoso? Mais expansivo? Ou me constrange e me torna inibido? Sou humilde e feliz ou humilde e angustiado?

Exercício do dia:Antes de rezar com humildade e reconhecimento de D'us, faça caridade. Isto ampliará suas preces.