Em 1843, o governo russo anunciou que seria promovida uma conferência em Petersburgo para decidir importantes problemas religiosos. Era intenção do governo, sob instigação dos maskilim, utilizar a conferência como um meio de introduzir no sistema escolar algumas inovações que iriam interferir com os procedimentos tradicionais na educação e prece judaicas.

Uma Comissão Rabínica, composta por líderes dos chassidim e mitnagdim, reuniu-se para planejar como melhor combater a ameaça representada pela conferência. Rabi Menachem Mendel foi designado para a comissão.

O primeiro encontro entre Rabi Menachem Mendel e Rabi Yitschac de Volozhin, o líder dos mitnagdim, causou uma impressão favorável em ambos. Observadores declararam que o encontro provou aos mitnagdim que os chassidim eram eruditos de Torá, e convenceu os chassidim de que os mitnagdim eram piedosos. Esta aproximação e cooperação comunitária teve efeitos salutares no relacionamento entre chassidim e mitnagdim. Os antagonistas se reuniram e começaram a trabalhar juntos pela causa comum do Judaísmo tradicional.

Na primeira conferência do governo, em 1843, Rabi Menachem Mendel expressou sua opinião de que o propósito do encontro poderia apenas encorajar a observância religiosa entre os judeus e reiterou que não se pode interferir com o costume judaico, pois “os costumes também são considerados Torá”. Apesar das ameaças feitas pelo diretor da conferência, um Ministro do Governo, e de ter sido colocado em prisão domiciliar em diversas ocasiões durante os quatro meses de duração da conferência, Rabi Menachem Mendel demonstrou inabalável determinação, opondo-se a qualquer proposta de mudança dos costumes judaicos.

“Não fomos convocados para legislar” – disse ele. “Estamos aqui para esclarecer estatutos previamente decididos nas leis Judaicas. Estamos aqui para esclarecer também os costumes de Israel, para proteger tanto os mandamentos de D’us quanto os costumes judaicos de serem modificados.”

A conferência terminou sem a adoção de qualquer uma das mudanças propostas pelos maskilim. A firmeza e o altruísmo de Rabi Menachem Mendel impressionaram todos os participantes, e elevaram ainda mais seu conceito.

A concessão de documentos de “cidadania honorária” assinados pelo Czar Nicolau foi uma das homenagens prestadas a Rabi Menachem Mendel em 1844, em reconhecimento à sua obra valiosa na Conferência de Petersburgo no ano anterior.

Esta grande honraria concedida a Rabi Menachem Mendel pelo governo causou uma profunda impressão nos judeus de todo o Império Russo. Sempre que surgia um problema importante nas comunidades judaicas na Rússia Branca, Rabi Menachem Mendel era consultado e solicitado a negociar com o governo. As atividades comunitárias empreendidas por Rabi Menachem Mendel expandiram-se para áreas ainda mais amplas.

Ele fez todos os esforços para melhorar as condições econômicas dos Judeus nas “Colônias Judaicas”. De todos os habitantes da Rússia, somente os judeus eram discriminados quanto ao local em que poderiam viver. Eles tinham permissão de se estabelecerem apenas em determinados distritos, formando um cinturão ou “colônia”. Até mesmo ali, estavam restritos às áreas urbanas e mantidos longe das áreas rurais.

Na conclusão da conferência rabínica, Rabi Menachem Mendel enviou um relatório ao Ministro do Interior sobre a situação econômica dos judeus dos assentamentos, e pediu ao governo que ampliasse a área. A reação do Ministro do Interior foi favorável, e, à sugestão de um dos seus assistentes, convidou Rabi Menachem Mendel, juntamente com dois intérpretes (Sr. Feitelson e Sr. Chaikin) para irem à capital a fim de desenvolver suas propostas. O Ministro recebeu Rabi Menachem Mendel cortesmente, assegurando a ele que suas propostas seriam submetidas na próxima sessão do gabinete.

Muitos dias depois, um dos assistentes do Ministro do Interior anunciou quem embora as propostas de Rabi Schneersohn a respeito dos problemas econômicos dos judeus na Província de Vitebsk, Mohilev e Minsk não tivessem sido aceitas totalmente, fora promulgado um decreto proibindo a expulsão dos judeus das aldeias e propriedades se eles já estivessem estabelecidos nesses locais. A situação precária de muitos judeus então foi legalizada, e a Colônia de fato ampliada.

Notícias da nova regulamentação conseguida por Rabi Menachem Mendel espalharam-se entre os judeus, e centenas de famílias judias aproveitaram a vantagem para se infiltrarem na nova área, encontrando maneiras de pré-datar sua mudança, a fim de satisfazer as exigências da lei.

Durante o verão de 1844, centenas de famílias se assentaram na área e ganharam um sustento razoável. Além disso, como resultado do êxodo das cidades, diminuiu o problema da superpopulação e concorrência.