Alter Rebe originalmente publicou apenas as primeiras duas partes do Tanya em 5557 (1797). A seguir, comentaremos a publicação das partes remanescentes do Tanya.

Há duas versões de Iguêret Hateshuvá (Parte III) bem como duas de Licutê Amarim (Parte I). Entretanto, ao contrário de Licutê Amarim que o Alter Rebe meramente editou na versão final, Iguêret Hateshuvá foi completamente reescrito.

Iguêret Hateshuvá também foi originalmente copiado a mão em 5552 (1792) em forma de panfleto. Há boas razões para acreditar que o Alter Rebe o escreveu antes das outras partes do Tanya. Entretanto, não o imprimiu junto com Licutê Amarim em 5557 (1797).

Dois anos depois, em 5559 (1799), um chassid do Alter Rebe, que vivia em Zolkiev (Romênia), decidiu, por si mesmo, reimprimir o livro sob o título de Tanya. Também adicionou a ele a versão original de Iguêret Hateshuvá.

Acredita-se que esse chassid não pediu nem recebeu permissão para acrescer o Iguêret Hateshuvá; mais ainda, não tinha permissão para imprimir qualquer parte do Tanya. A razão é que o Alter Rebe escreveu no Prefácio que ninguém seria autorizado a reimprimir o livro nos cinco anos seguintes.

Esse chassid e os rabinos de Zolkiev que deram sua aprovação e encorajamento para imprimir o livro acreditavam que a proibição do Alter Rebe para reimprimi-lo (como Reb Zusha escreveu claramente em sua Aprovação) era apenas para evitar que o editor original sofresse perda financeira (o editor investira muito tempo e dinheiro na preparação das páginas para a impressão). Entretanto, em Zolkiev, era proibido importar qualquer livro impresso na Rússia. Assim, não podiam comprar o livro do editor russo e sentiram que não lhe causariam qualquer dano monetário se eles mesmos o publicassem.

A presente versão de Iguêret Hateshuvá foi primeiramente publicada como a terceira parte do Tanya pelo Alter Rebe em 5566 (1806), na cidade de Shklov. Não sabemos quando o Alter Rebe realmente o reescreveu, mas sabemos (pelo Rebe Rashab – 5º Rebe de Chabad) que foi reescrito depois que o Alter Rebe foi libertado da prisão.

O Rebe Rashab explica que é por isso que Iguêret Hateshuvá é tão diferente de outros livros sobre assuntos de ética e arrependimento. Sua forma final surgiu depois da libertação da prisão, quando o Alter Rebe recebeu permissão para difundir os mananciais de chassidut ainda mais do que antes. Ele, portanto, explicou e elaborou conceitos profundos de Divindade em Iguêret Hateshuvá.

Iguêret Hacôdesh e Cuntrês Acharon (Partes IV e V) foram coletados e publicados pelo segundo Rebe e seus irmãos em 5574 (1814), no vigésimo segundo dia de Iyar, um ano e quatro meses após o falecimento do Alter Rebe. Pela primeira vez, o nome do autor foi impresso na página de rosto. Em sua aprovação, escreveram que incluíram apenas [algumas daquelas cartas] cujos manuscritos originais do Alter Rebe tinham em seu poder, para que não houvesse erros no translado.
Muitas das cartas falam da importância de doar tsedacá (caridade), especialmente aos judeus em Êrets Yisrael. As outras cartas inspiram a estudar, orar e cumprir mitsvot.

O Alter Rebe escreveu tais cartas durante muitos anos, e elas foram organizadas por tópicos, em vez de ordem cronológica. Por exemplo, a primeira carta foi escrita dez anos antes da segunda, redigida após sua libertação da prisão em 5559 (1799), e as cartas nº 27 e nº 29 foram escritas em 1788-89, na mesma época da primeira carta.

Das 32 cartas, nem todas foram escritas realmente como tal. O Alter Rebe escreveu o que é chamado de carta nº 20 como uma exposição chassídica, uma semana antes de falecer.
O Alter Rebe escreveu Cuntrês Acharon enquanto trabalhava no Tanya. Nos nove títulos ele explica e esclarece muitos pontos encontrados no Tanya.

O Rebe Anterior escreve que há quatro partes no Tanya, contando Iguêret Hacôdesh e Cuntrês Acharon como uma só. Essas correspondem às quatro partes do Shulchan Aruch:
• Ôrach Chayim = Licutê Amarim
• Yorê Deá = Sháar Hayichud Vehaemuná
• Êven Haêzer = Iguêret Hateshuvá
• Chôshen Mishpat = Iguêret Hacôdesh e Cuntrês Acharon

Em outras ocasiões, consideramos Iguêret Hacôdesh e Cuntrês Acharon como duas entidades separadas, formando, portanto, cinco partes no Tanya. Essas cinco então corresponderiam aos Cinco Livros da Torá. O Rebe explicou que Cuntrês Acharon pode ser comparado ao Chumash Devarim (o quinto livro do Pentateuco), chamado Mishnê Torá, que revê e detalha muitas leis da Torá. Cuntrês Acharon, de maneira similar, explica muitas partes do Tanya. Podemos portanto considerá-lo como sendo a parte oral da Torá escrita.