Na Parashá passada lemos como Betsal’el fora escolhido por Hashem para ser o construtor do Mishcan. Algumas pessoas se opuseram à nomeação de Betsal’el, por sentirem que Moshê estava conferindo todas as posições de prestígio unicamente à sua família. O próprio Moshê era o líder da nação inteira; Aharon, seu irmão, era o Sumo Sacerdote; os filhos de Aharon eram seus assistentes; El’azar filho de Aharon era o portador do Mishcan, e agora Betsal’el, bisneto de sua irmã, construíra o Mishcan. Moshê estava consciente desse rancor e disse: “Saibam, meus irmãos, que não fiz nada sozinho, por vontade própria. Não pensem que foi minha ideia designar Betsal’el, ou que eu quis dar-lhe um cargo importante por ser bisneto de minha irmã Miriam. Foi Hashem quem indicou que o pusesse à frente da tarefa da construção.”

O mais sagrado de todos os objetos era a Arca. Betsal’el era o principal trabalhador na construção da Arca, e realizou essa tarefa com o maior cuidado e atenção. (Segundo outra opinião, Betsal’el não permitiu que ninguém o ajudasse na construção da Arca e a fez totalmente sozinho.)

A Arca construída sob a direção de Betsal’el era tão sagrada que nunca foi destruída. Foi colocada no primeiro Bet Hamicdash e escondida antes de sua destruição. No segundo Bet Hamicdash não havia a presença da Arca. Quando o terceiro Bet Hamicdash for construído, Hashem nos devolverá o Aron de Betsal’el.

Tanto Betsal’el como seu assistente Aholiav, foram inspirados com compreensão Divina, a fim de permitir-lhes projetar e confeccionar os recipientes do Mishcan exatamente como Hashem mandara, bem como talhar e cinzelar até os desenhos mais intrincados. O talento de Betsal’el na construção do Mishcan e de seus utensílios era inato, dado por D'us. Era um verdadeiro milagre, pois no Egito os judeus só realizavam trabalho de escravo, construindo casas e fazendo tijolos. Nenhum deles tivera experiência, ou mesmo contato, com algum tipo de trabalho artístico ou artesanal mais delicado.

Parece estranho, contudo, que nem Aholiav nem qualquer outra pessoa temente a D'us que ajudou a construir o Mishcan tenha levado crédito, na Torá, pelos papéis que desempenharam. Parece que Betsal’el recebeu todo o crédito, pois os versículos reiteram constantemente “e ele o fez”, uma aparente referência apenas a Betsal’el.

O motivo é que Betsal’el não empenhou-se apenas na construção material. Também labutou no campo espiritual. Exigiu o máximo de sua mente a fim de compreender o significado profundo por trás de cada objeto. Como investiu tanto esforço espiritual na construção, Hashem recompensou-o. Consequentemente, Hashem concedeu-lhe o mais alto grau de profecia, sendo capaz de sondar e apreender o significado de cada elemento. A Torá atribui a construção inteira do Mishcan a Betsal’el pois, imbuindo cada recipiente com seus pensamentos sagrados, tornou-se seu construtor espiritual; gravando o selo final em cada objeto.