1 – Moshê nasceu no Egito

Moshê nasceu no Egito durante a escravidão dos judeus. Seus pais Amram e Yocheved eram da famosa tribo de Levi1. Ele tinha dois irmãos mais velhos, Aharon e Miriam. Segundo a tradição rabínica, ele era imensamente belo2 e poderoso3 e seu semblante era como o de um anjo.4

2 – Seu Nascimento Foi Previsto por Astrólogos Egípcios

O Faraó era o governador do Egito na época. Seus astrólogos disseram a ele que tinham visto nas estrelas que o salvador do povo judeu tinha nascido e iria encontrar seu fim através da água. O Faraó portanto decretou que todos os meninos judeus recém-nascidos fossem afogados no Rio Nilo para assegurar que este salvador do povo judeu fosse morto.5

Yocheved, mãe de Moshê, deu à luz a ele três meses prematuramente.6 Quando ele nasceu, a casa ficou repleta de luz de sua santidade.7 Ela escondeu o bebê das autoridades egípcias até o que teria sido seu nono mês de gravidez. Quando ela não podia mais escondê-lo, colocou Moshê num cesto e o deixou flutuar ao longo do Rio Nilo, assim salvando-o da morte.8

3 – Ele Possuía um Nome Egípcio

(Miriam vigia Moisés na cesta - por Natalia Kadish)
(Miriam vigia Moisés na cesta - por Natalia Kadish)

Moshê ( ou Moisés) foi nomeado pela filha do Faraó, Batya. Enquanto se banhava no Rio Nilo, ela percebeu um cesto flutuando na água. O cesto continha o pequeno Moshê. Segundo a tradição rabínica, ela foi até lá para apanhá-lo, e milagrosamente seu braço se esticou além do seu comprimento normal9 e ela conseguiu puxar o cesto para perto dela. Para sua surpresa, descobriu um bebê dentro do cesto e decidiu adotá-lo como seu. Ela deu ao bebê o nome de Moshê, que é derivado da palavra mishisihu (“ele foi tirado”) pois ela tinha apanhado o bebê da água.

4 – Moshê Gaguejava

O Midrash nos conta que quando Moshê era um menino pequeno no palácio do Faraó, certa vez ele pegou a coroa do faraó e a colocou sobre sua cabeça. O faraó temeu que o pequeno menino estivesse atrás da monarquia. Para testá-lo, os conselheiros reais sugeriram que o faraó colocasse ouro brilhante e um carvão aceso igualmente brilhante na frente do menino. Se Moshê pegasse o carvão, ficaria claro que ele era simplesmente atraído por objetos brilhantes.

Confrontado com uma série de objetos brilhantes, Moshê estava prestes a pegar o ouro, mas um anjo redirecionou sua mão para o carvão. Moshê pegou um pedaço de carvão e colocou-o em sua boca. Ele queimou sua boca, e a partir dali, ele falava com dificuldade. Rabi Shneur Zalman de Liadi explica que a gagueira de Moshê era refletiva do seu estado espiritual. Sua alma era do mundo de Tohu (“caos”), que está acima e além da nossa realidade. Isso resultou na sua incapacidade de relacionar-se (ou comunicar-se) com aqueles ao seu redor.

5 – Moshê Era Um Fugitivo

Moshê cresceu na casa do Faraó. Certa vez ele observou um supervisor egípcio atacando violentamente um inocente escravo judeu. Após assegurar-se que ninguém estava olhando, ele matou o egípcio e o enterrou na areia. Apesar das suas precauções, a notícia desse episódio chegou aos ouvidos do Faraó, e Moshê foi condenado à morte. Segundo a tradição, quando ele estava para ser executado pela espada, seu pescoço milagrosamente se transformou em marfim e ele conseguiu fugir.10

6 – Moshê era um Pastor

Moshê casou com Tzippora, a filha de Yitro, um famoso sacerdote,11 Eles tiveram dois filhos, Guershom e Eliezer.12 Yitro contratou Moshê para ser pastor de seu rebanho.

Um dia, Moshê percebeu que uma ovelha tinha se afastado do restante do rebanho. Ele correu atrás da ovelha e a encontrou descansando num canto sombrio e bebendo água de uma cisterna. Os rabinos nos dizem que Moshê exclamou: “Não percebi que você fugiu porque você estava cansada,” e gentilmente a pegou e devolveu-a ao rebanho. Quando D'us viu este ato de compaixão da parte de Moshê, Ele declarou: “Como você tem tanta misericórdia sobre o rebanho de um ser humano, Eu garanto que você vai se tornar o pastor do Meu povo.”13

7 – Ele Ouviu D'us de uma Sarça Ardente

A pequena ovelha perdida levou Moshê a um arbusto que estava ardendo com fogo mas não estava sendo consumido. Quando ele se aproximou do arbusto para descobrir a razão para essa estranha ocorrência, D'us apareceu para ele e lhe disse para retirar os sapatos em respeito ao local sagrado. D'us então começou a instruir Moshê para aparecer perante o Faraó e exigir a liberdade do povo judeu. Ele também lhe disse para lembrar ao povo judeu que D'us não tinha esquecido deles e que eles logo seriam libertados. Após alguma relutância inicial, Moshê aceitou a posição. Esta foi a primeira vez em que D'us Se revelou a Moshê.14

8 – Moshê Trouxe Dez Pragas

Moshê foi ordenado por D'us a negociar a libertação do povo judeu. Quando o Faraó se recusou a deixá-los ir, D'us falou a Moshê para dizer a Aharon para golpear o Rio Nilo, e milagrosamente ele se transformou em sangue, assim privando os egípcios da sua fonte vital de água. A praga não somente afetou o Nilo, mas transformou todos os líquidos potáveis em sangue.15 Mesmo assim, o Faraó teimosamente recusou-se a deixar os judeus partirem. D'us então disse a Moshê para falar a Aharon para esticar seu cajado, e uma praga de sapos se espalhou pelo Egito, causando devastação entre os egípcios. Em desespero, o Faraó concordou em libertar os judeus com a condição de que a praga fosse detida. Após Moshê concordar e rezar a D'us para remover os sapos, o Faraó imediatamente mudou de ideia e recusou-se a deixar o povo ir16. A mesma cena se repetiu mais e mais vezes, a cada vez com uma nova praga. Após 10 pragas, o Faraó finalmente desistiu e pediu a Moshê para tirar os judeus fora do Egito.

9 – Ele Lembrava Yossef

Nossos sábios nos dizem que embora o povo judeu estivesse ocupado empacotando seus pertences para deixarem o Egito, Moshê foi pegar o caixão do grande líder judeu Yossef, que tinha sido o vice-rei do Egito antes da escravidão começar. O desejo de morte de Yossef tinha sido que seus ossos fossem tirados do Egito e fossem enterrados na Terra de Israel. Agora, quando a redenção estava ocorrendo, Moshê queria cumprir o pedido de Yossef. Ele chamou Serach, a filha de Asher, que tinha estado presente quando Yossef faleceu, para mostrar onde Yossef fora enterrado. Ela disse que os egípcios tinham enterrado Yossef num caixão de metal no fundo do Rio Nilo para que o rio fosse abençoado em seu mérito. Moshê ficou nas beiras do rio e chamou: “Yossef, Yossef, a hora da redenção chegou, e portanto é hora de cumprirmos a promessa que fizemos a você.” Imediatamente, o caixão subiu até a superfície e os judeus o levaram para a Terra de Israel.17

10 – D'us Abriu o Mar Através de Moshê

Arte de Ahuva Klein
Arte de Ahuva Klein

Quando o Faraó liberou o povo judeu, ele se arrependeu da sua decisão. Reuniu seu exército, determinado a devolver os judeus à servidão no Egito. Os judeus agora estavam numa situação perigosa, com o Mar Vermelho à frente deles e o exército egípcio rapidamente se aproximando por trás. D'us ordenou a Moshê para estender sua mão sobre o mar, e um forte vento leste começou a soprar. Milagrosamente, o mar se abriu e os judeus atravessaram sobre terra seca para a segurança. O exército egípcio tentou persegui-los e foi inteiramente destruído quando as águas cairam sobre eles enquanto entravam no mar.18

11 – Ele Seguiu o Conselho de Yitro

Yitro, sogro de Moshê, juntou-se ao povo judeu no deserto durante algum tempo. Durante seu tempo ali, ele percebeu que o próprio Moshê estava julgando todos os casos para a nação judaica. Ele sugeriu que Moshê criasse um sistema de corte oficial com cortes mais baixas e mais altas para partilhar essa enorme responsabilidade. Moshê seguiu o conselho de seu sogro e nomeou juízes sobre as pessoas.19

12 – Moshê o Legislador

D'us tinha deixado claro que Ele tinha libertado o povo judeu do Egito para que eles recebessem a Torá. Na verdade, durante as próximas sete semanas, os judeus se prepararam para este evento histórico. Após eles se comprometerem a observar as leis da Torá, D'us apareceu no Monte Sinai para dar a eles os Dez Mandamentos. Moshê então subiu a montanha para o Céu por 40 dias para receber as Tábuas sobre as quais D'us tinha gravado os Dez Mandamentos.

Os judeus calcularam errado o tempo em que Moshê deveria retornar. Quando ele não voltou no tempo marcado, uma grande quantidade de judeus decidiu fazer um ídolo na forma de um bezerro de ouro que iria liderá-los na ausência de Moshê. Quando Moshê desceu da montanha e viu o que eles tinham feito, atirou as Tábuas ao chão, quebrando-as. Após censurar fortemente o povo e destruir o ídolo, ele novamente subiu ao Céu, dessa vez para alcançar o perdão para a sua nação. D'us perdoou o povo, e Moshê desceu a montanha e esculpiu o segundo par de Tábuas.20

13 – Moshê Amava Seu Povo

Após o pecado do Bezerro de Ouro, D'us disse a Moshê que Ele pretendia expulsar o povo judeu e reconstruir Sua nação a partir dele. Em resposta, Moshê pediu a D'us para remover seu nome da Torá. Como Moshê poderia desistir de sua porção na Torá, à qual ele estava tão profundamente conectado em prol de um povo que tinha realizado idolatria, o mais grave dos pecados? Porque a conexão de Moshê com seu povo – incluindo os maiores pecadores – era ainda mais profunda que sua conexão com a Torá.21

14 – Ele Sobreviveu à Rebelião de Côrach

Moshê liderou o povo judeu em sua jornada através do deserto para a Terra de Israel. Em muitas ocasiões, sua liderança foi desafiada. Uma rebelião que é apontada na Torá foi a de Côrach, um primo de Moshê, que estava infeliz com o que ele via como sendo uma divisão injusta de poder na liderança do povo judeu. Ele reuniu um grande número de judeus, particularmente da tribo de Reuven, contra Moshê e Aharon. Moshê reagiu desafiando Côrach e seus apoiadores para um teste: o clã de Aharon e o de Côrach iriam oferecer incenso, e eles veriam qual seria aceito por D'us. Quando Côrach e seus homens vieram no dia seguinte com seus incensários, um fogo celestial desceu e consumiu 250 apoiadores de Côrach. A família de Côrach, junto com as famílias de Datan e Aviram, que tinham conspirado com Côrach, e foram engolidos pela terra.22

15 – Ele foi o Maior Profeta

A Torá professa que “nenhum profeta jamais chegou ao nível de Moshê,.”23 Na verdade, Moshê foi único em seu nível de profecia. Enquanto outros profetas somente profetizavam num sonhou ou visão e até por meio de um anjo, Moshê experimentava a profecia durante o dia inteiro sem nenhum outro meio. Enquanto outros profetas eram intimidados quando recebiam suas profecias, Moshê a sentia “como se falasse com um amigo.”24 Moshê percebia a Divindade de forma muito direta e apreciava suas profecias em sua plenitude. Outros profetas não provaram tais revelações e eram apenas capazes de apreciar a Divindade numa maneira mais geral sem aquele nível de clareza.25

16 - Moshê Bateu na Rocha

Em mérito de Miriam, irmã de Moshê, D'us proveu o povo judeu com uma pedra milagrosa que funcionava como um poço, que os sustentava com água durante suas viagens. Apos o falecimento de Miriam no deserto, o poço parou de prover água/ Os judeus voltaram-se a Moshê para uma solução. D'us disse a Moshê e a Aharon para falarem com a rocha, e ela daria água. Quando Moshê tentou falar com a rocha e ela não fornecia água, ele pensou em bater na rocha como tinha feito numa ocasião semelhante. Ele bateu nela uma vez e somente um fio de água surgiu. Somente depois que ele bateu uma segunda vez a água surgiu (Na realidade, D'us tinha escondido o poço de Miriam, e portanto a rocha que Moshê tinha batido não deu nenhuma água. A pedra que ele bateu, porém, era o poço de Miriam e portanto produziu os resultados certos.26)

D'us estava muito descontente por Moshê ter batido na rocha ao invés de ter falado com ela, conforme havia sido orientado, e decretou que Moshê e Aharon não teriam o mérito de entrar na Terra de Israel com o restante dos judeus.27

[Um pecado que possa parecer pequeno aos nossos olhos de simples mortais, quando praticado por um gigante em estatura física e espiritual como Moshê, gera uma punição maior].

17 – Ele Viveu 120 Anos

Embora Moshê implorasse a D'us para permitir-lhe entrar na Terra de Israel, D'us não cedeu. No dia 7 de Adar, no mesmo dia em que nasceu,28 Moshê faleceu aos 120 anos de idade. A Torá atesta que “ninguém sabe o local de seu sepultamento até hoje.”29 Seu fiel aluno, Yehoshua, o sucedeu e finalmente conduziu os judeus para a Terra de Israel.