Muitas vezes escrito Shapiro, Schapiro e Spiro, a versão desse nome mais precisa é provavelmente Shapira. Todos são iterações de Shpira (שפירא), o nome judaico da cidade alemã de Speyer (antes conhecida como Spira), que tem uma longa e trágica história judaica.

Junto com Mainz e Worms, formou o berço da cultura Ashkenazi, e os primeiros registros de judeus em Speyer datam do século 10. As três cidades eram conhecidas coletivamente como ShUM, um acrônimo para Shpira (Speyer), Vermaisa (Worms) e Magentza (Maintz).

Infelizmente, junto com todas as comunidades judaicas na Europa, os judeus de Speyer sofreram muito com o derramamento de sangue e perseguições nas mãos de seus vizinhos cristãos, muitas vezes a pedido de oficiais da igreja. Embora os judeus tenham recebido certos privilégios básicos em 1084 por oficiais que estavam ansiosos para que eles colocassem sua perspicácia nos negócios para o bem da região, não demorou muito para o ódio explodir.

Em 1096, eles estavam entre as primeiras vítimas das turbas frenéticas da Primeira Cruzada e, ao longo dos séculos, continuaram a ser vítimas de ondas sucessivas de cruzadas e libelos de sangue.

Mesmo nos tempos mais sombrios, o estudo da Torá floresceu na cidade, o que produziu vários estudiosos da Torá, muitos dos quais eram membros da prestigiosa família Kalonymos, que se originou na Itália, mas migrou para a Renânia.

Em 1349, a comunidade judaica de Speyer foi totalmente exterminada por uma multidão sanguinária. Embora os judeus tenham voltado, nunca recuperaram a sua proeminência. Na verdade, os judeus foram banidos da cidade várias vezes e, em alguns momentos, enfrentaram a difícil escolha entre o batismo forçado e a morte.

Mas embora a vida judaica tenha deixado de existir dentro da cidade de Speyer, a nobre herança de seus habitantes judeus vive do estudos da Torá que eles produziram e nas muitas famílias judias que carregam orgulhosamente seu nome.

Essa grande árvore genealógica inclui o Rabino Nathan Schapiro, que viveu em Grodno e faleceu em 1577; seu neto, também chamado Rabino Nathan Schapiro, que tornou-se rabino de Cracóvia e autor do Megaleh Amukot, e faleceu em 1633; Rabi Pinchas de Koretz, um dos primeiros líderes chassídicos; seus netos, os famosos irmãos Schapiro de Slavita; e Rabino Meir Schapiro, líder chassídico e estudioso da Torá em Lublin, Polônia.

Rabino Meir Shapiro de Lublin (1887-1933)
Rabino Meir Shapiro de Lublin (1887-1933)