Desde que os efeitos imediatos da pandemia mundial do coronavírus começaram a afetar as interações sociais, o Zoom se tornou o meio preferido para encontros virtuais grandes e pequenos. Porém, até o grupo do Zoom jamais tinha ajudado a preparar um evento tão grande como a inspiradora reunião realizada em comemoração da data de Guimel Tamuz, o 26º aniversário de falecimento do Rebe – Rabi Menachem M. Schneerson, de abençoada memória.

Em geral, 45.000 projetos {cada um com múltiplos visualizadores) colocados em 26 programas interconectados através do Zoom e outras plataformas, cada qual representando uma comunidade judaica ou região ao redor do mundo, para uma única mistura de preces, estudo de Torá, narração de histórias, melodias, e inspiração. Palestrantes enfatizaram o profundo amor do Rebe por todos, e seguindo o exemplo do Rebe, encorajaram todos os conectados a aprender Torá e realizar atos de bondade e gentileza em toda oportunidade.

Com uma estimativa de duas a cinco pessoas assistindo juntas em cada estabelecimento e lar – famílias juntas – os organizadores acreditam que o número total de assistentes ficou bem acima de 100 mil, embora números exatos sejam difíceis de computar. Os números vastos e crescentes de pessoas comemorando o legado do Rebe, 26 anos após seu falecimento se deve, ao sempre crescente engajamento com a vasta rede de erudição e ensinamentos do Rebe.

Os anos recentes têm visto uma grande quantidade de obras, tanto acadêmicas quanto populares, mergulhando nos ensinamentos do Rebe. Entre elas estão Torat Menachem – o 68º volume em hebraico foi lançado recentemente – a nova edição bilíngue de Likutei Sichot, livros acadêmicos como Visão Social e obras populares como Positividade e Sabedoria para Curar a Terra, que, junto com outros vídeos, sites, mídia social e novos centros Chabad-Lubavitch ao redor do mundo, têm tornado a profunda mensagem do Rebe mais acessível do que nunca.

O evento no Zoom, chamado “Barcheinu Avinu,” a propagação foi coordenada pelo Vaad Or Vechom Hiskashrus, uma divisão de Igud Hashiuchum dedicada a prover inspiração chassídica e programação espiritual a comunidades judaicas do mundo todo.

O evento ao vivo exigiu uma extensa equipe de técnicos, diretores de fotografia, especialistas em som e outros (Foto: Itzik Roytman).
O evento ao vivo exigiu uma extensa equipe de técnicos, diretores de fotografia, especialistas em som e outros (Foto: Itzik Roytman).

“Este foi o maior evento Zoom interativo do mundo,” disse o produtor Ronen Peled, explicando que cada comunidade da América do Norte, América do Sul, Europa, Israel e África do Sul receberam uma sala Zoom, e foram então conectados à transmissão central, baseada no centro de visitantes perto do Ohel, o local de repouso do Rebe no Queens, Nova York.

Num ano comum, cerca de 50 mil visitantes comparecem ao Ohel pessoalmente nesta data. Para muitos, porém, este evento recriou esta experiência, pois veem as faces de pessoas do mundo inteiro, ouvem declarações de líderes chassídicos, e passam virtualmente por uma visita ao Ohel.

Os visitantes eram do mundo inteiro, incluindo Leste da Ásia, onde a participação aumentou bem depois da meia-noite.

O evento, que também tinha oradores do mundo inteiro, não foi sem dificuldades logísticas – notavelmente, que encontros Zoom geralmente são restritos a 1.000 participantes por encontro, e os organizadores deram as boas vindas a grupos com mais de 1.000 online.

O rabino Chaim Shaul Brook, que recentemente se recuperou do COVID-19, discursou na reunião (Foto: Itzik Roytman).
O rabino Chaim Shaul Brook, que recentemente se recuperou do COVID-19, discursou na reunião (Foto: Itzik Roytman).

Em geral, o evento ocorreu com tranquilidade, com as telas gigantes atrás dos apresentadores ao vivo mostrando atrás as telas dos vários encontros zoom, o que permitiu às pessoas entender a magnitude do evento. Para muitos, o ponto alto foi participar na tradicional leitura de um Pan {pidyon nefesh – a tradicional prece ao Tsadik de noss geração para solicitar as bênçãos de D'us) no Ohel, local de repouso do Rebe.

As pessoas presentes também incluíram os filhos de várias famílias dos Estados Unidos e Europa que tinham sido impactadas pela pandemia do coronavírus e o programa também incluiu uma apresentação musical do Cantor Berel Zucker, cuja esposa de 39 anos, Raizel, faleceu recentemente, deixando-o com oito filhos, dos quais o mais velho ainda é um adolescente.

E no espírito do Rebe, para quem toda interação e evento tinha de levar a uma mudança positiva, o evento concluiu numa nota prática. Os participantes foram encorajados a assinar para serem emparelhados com um parceiro de estudo {remoto) com quem possa aprender uma porção dos ensinamentos de Torá do Rebe.

“Nosso foco é sempre fortalecer a conexão das pessoas com o exemplo e os ensinamentos do Rebe – ser inspirados a nos aproximarmos de D'us e nosso próximo – diz Rabi Levi Slonim, um emissário Chabad de Binghamton e membro do comitê que organizou o mega Zoom. “Este ano, precisamos mergulhar mais fundo e sermos mais criativos para cumprir nossa meta, mas graças a D'us, o evento foi profundamente comovente e a enorme magnitude dele foi impressionante.”

O evento foi produto de dezenas de profissionais no local, além de coordenadores de todo o mundo (Foto: Itzik Roytman).
O evento foi produto de dezenas de profissionais no local, além de coordenadores de todo o mundo (Foto: Itzik Roytman).
O mega Zoom foi um milagre contínuo da tecnologia digital (Foto: Itzik Roytman).
O mega Zoom foi um milagre contínuo da tecnologia digital (Foto: Itzik Roytman).
Separados um do outro, mantendo distância de acordo com o protocolo, os cantores acompanharam Berel Zucker nas melodias de Chabad (Foto: Itzik Roytman).
Separados um do outro, mantendo distância de acordo com o protocolo, os cantores acompanharam Berel Zucker nas melodias de Chabad (Foto: Itzik Roytman).
O músico rabino Choni Milecki compartilhou sua memória de visitar o Rebe de Sydney, Austrália, onde sua família atua como emissários de Chabad (Foto: Itzik Roytman).
O músico rabino Choni Milecki compartilhou sua memória de visitar o Rebe de Sydney, Austrália, onde sua família atua como emissários de Chabad (Foto: Itzik Roytman).