Há alguns séculos, havia uma sociedade que era rigidamente disposta e separada por classes. Então, chegou um homem que pregava que todas as pessoas são criadas iguais e dotadas com direitos Divinos inalienáveis. Sua revolução mudou o mundo.

Essa não foi a Revolução dos Direitos Civis de 1954. Nem a Revolução Americana de 1783. Foi a Revolução Chassídica de 1734 e o pregador foi o Pai Fundador do Movimento Chassídico, Rabi Yisrael “Baal Shem Tov” {literalmente, “Mestre do Bom Nome”).

A sociedade judaica tinha sido desmoralizada pelos devastadores pogroms Khmelnytskyi, que tinham massacrado metade do Judaísmo Askenazita, e a excruciante exposição de Shabatai Zevi como uma fraude messiânica. (Sua popularidade tinha crescido tanto que em 1666, grande parte do mundo judaico tinha sucumbido à crença escatológica de que Shabatai Zevi era o Mashiach há tanto esperado).

Após esses eventos desmoralizantes, a saúde sócio econômica da vida no shtetl se deteriorou rapidamente. Poucos podiam pagar uma educação de Torá adequada para seus filhos, criando uma hierarquia antagônica entre a elite acadêmica e seus irmãos do proletariado sem estudo. Foram criadas sinagogas separadas. Casamento misto era proibido. A discriminação era frequente.

Nesse estado espiritualmente estupefato, o Baal Shem Tov transmitiu vida nova à alma de seu povo através dos ensinamentos da Cabalá e misticismo da Torá. Embora sua liderança tivesse sofrido uma oposição inicial, hoje seus seguidores – conhecidos como Chassidim (lit. “piedosos”) – estão entre a demografia judaica de crescimento mais rápido na América do Norte {e possivelmente, no mundo).

Abaixo estão 10 ensinamentos extraídos da sabedoria chassídica que podem inspirar você a tornar-se uma pessoa melhor... se você permitir.

1 – Viva com Amor Sem Medo

O Baal Shem Tov ficou órfão quando tinha cinco anos. Seu pai, no leito de morte, voltou-se a ele e disse: “Yisrolik, não tema nada, apenas a D'us. Ame todo e cada judeu, sem exceção, com toda a profundidade de seu coração e com o fogo da sua alma, não importa quem ele é ou como se comporta.”

O Baal Shem Tov certa vez citou o versículo “Vocês são filhos de D'us,”1 e explicou que quando alguém ama o Pai, ama Seus filhos. Tanto é, disse o Baal Shem Tov, que “uma alma pode descer a este mundo e viver durante setenta ou oitenta anos, apenas para fazer [ao seu irmão] judeu um favor material e certamente um espiritual.”2

Rabi Shlomo de Karlin estava habituado a dizer “Desejo que eu possa amar os justos tanto quando o Bendito ama o pecador.”

Na verdade, certa vez um pai lamentou-se ao Baal Shem Tov que seu filho tinha abandonado D'us. “Rabi, o que devo fazer,” ele perguntou. “Ame ele mais do que nunca.”

2 – É Tudo Sobre Você

O Maguid de Mezeritch citava o ensinamento talmúdico “da má lemaala mimach”, “saiba o que está acima de você”,3 e dizia: “Saiba que tudo acima – tudo que transpira nos reinos espirituais – é mimach, de você, i.e., dependente da sua conduta.” Cada um de nós tem o potencial de influenciar os âmbitos espirituais mais elevados.” Em termos cabalísticos, isso é conhecido como “Despertar do abaixo que causa um despertar Acima.”

Rabi Pinchas de Koretz ensinava que toda pessoa possui uma característica valiosa que não pode ser encontrada em mais ninguém.

Quando era indagado o que ele esperava após seu falecimento, Reb Zusha de Anipoli certa vez disse: “Não tenho medo de ser indagado por que eu não fui Moshe. Afinal, D'us já tem um Moshe Tenho medo, no entanto, de ser indagado: “Zusha, por que você não foi Zusha?”

O Rebe Lubavitch certa vez escreveu [em referência à Segunda Guerra Mundial], “Um indivíduo tinha levado o mundo à beira da destruição, mas pela misericórdia do Mestre do Universo, que ordenou que ‘a terra ficasse firme e não caísse.’ Este é o poder de um único ser humano de fazer o mal. Mil vezes maior é o poder de cada um de nós de fazer o bem.”4

3 – Não é Sobre Você

Uma ideia cabalística fundamental é que o mundo foi criado “do nada em algo” portanto nós, como seres humanos, iríamos criar “algo em nada.” Isso é chamado bitul hayesh ou “anulação do ser”.

Reb Simcha Bunim de Peshischa ensinava que toda pessoa tem de ter dois bolsos, e carregar uma anotação separada em cada um. Em um bolso, “o universo foi criado para mim,”5 e no outro, “Sou apenas pó e cinzas.”6

Com frequência, o caminho para anular o ser é através de concentrar-se no outro, como o Rebe Anterior disse a um estudante que estava reclamando sobre seus problemas financeiros: “Você está falando sobre o que precisa, mas você não pensou para o que você é necessário.”

O Maguid de Lublin certa vez disse: “Duas pessoas piedosas em uma cidade são demais. Uma pessoa piedosa em uma cidade não é suficiente. É melhor ter uma pessoa e meia piedosa. Como? Todos deveriam ver a si mesmos como metade de uma pessoa piedosa, e ver seu vizinho como um piedoso completo.”

4 – Abrace o Poder da Alegria

O Baal Shem Tov certa vez disse: “A fonte de toda tristeza é orgulho, pois a pessoa orgulhosa pensa que merece tudo.” Ele ensinava que até a alma mais simples pode se ligar ao Criador Infinito com alegria, música, e dança.

Rabi Yechiel Michel de Zlotchot disse: “Há duas coisas sobre as quais é proibido se preocupar: aquilo que é possível consertar, e aquilo que é impossível consertar. O que é possível consertar – conserte, e por que se preocupar? O que é impossível consertar – como a preocupação irá ajudar?”

Rabi Sholom Dovber Schneersohn citava que “a alegria quebra todas as fronteiras.”

O poder do pensamento positivo é um ensinamento chassídico mencionado com frequência, evidenciado pelo famoso epigrama do Tzemach Tzedek, “Pense bem e será bom.”

5 – Foque em Seu Jogo Interior

A riqueza do ensinamento chassídico foca na importância de adquirir domínio e revelar as profundezas de nossa alma. Um penimi (“interior”) é alguém que é plenamente cônscio de si mesmo e consistentemente desenvolve suas crenças interiores e traços de caráter.

O conflito inteiror é real e pode ser o próprio objetivo de nossa criação. Como Rabi Levi Yitzchak de Berdichev disse a um zombador: “O deus em que você não acredita eu também não acredito.” Veja o texto chassídico fundamental, o Tanya, para descobrir como focar em seu jogo Divino interior é realmente a “estrada mais longa, mais curta.”

“A total simplicidade do judeu simples chega à essência totalmente simples de D'us,” ensinava o Baal Shem Tov. Simplicidade Divina refere-se ao essencial e quintessencial do Divino, livre das complexidades e construções externas da realidade. O trabalho neste jogo interior é com frequência realizado através de prece meditativa e introspectiva. Um conhecida história chassídica nos fala de um menino que, não sabendo como rezar, cantou como um galo. Sua sinceridade era tão grande, seu interior tão concentrado no Divino, que suas preces se tornaram legendárias.

6 – Palavras Criam Mundos

Em preparação para o Grande Dilúvio, D'us disse a Noach para “Fazer um tzohar para a arca.”7 O Baal Shem Tov ensinava que a palavra “arca” em hebraico é teivá, que também significa “palavra”. Um tzohar é algo que brilha, portanto o versículo também poderia significar “Faça cada palavra que você diz brilhar.”

D'us ordenou a Noach para “Entrar na teivá” {literalmente, “arca”, mas também “palavra”. A pessoa deveria entrar e apegar-se às letras e palavras da Torá e da prece. Isso protegerá a pessoa e toda sua família, possibilitando-lhes receber de D'us todas as suas necessidades.8

7 – Auto Controle é Auto Expressão

Um famoso aforismo do Alter Rebe aconselha: “Aquilo que é proibido é proibido e aquilo que é permitido é desnecessário.”

Em uma ocasião, o Berditchver Rebe e o Alter Rebe estavam caminhando juntos. Aproximando-se de uma passagem estreita, cada um insistiu que o outro passasse na frente. Quando ficou claro que nenhum iria desonrar o outro passando primeiro, os chassidim quebraram os muros de cada lado, alargando a entrada para que pudessem passar através dela juntos. O Rebe de Berditchev disse: “Por que quebrar o muro? Temos o poder de simplesmente caminhar através dele!” O Alter Rebe respondeu: “Nem tudo que está dentro da capacidade de alguém, a pessoa precisa agir sobre ela.”

8 – Ação é Sagrada

O Rebe sempre dizia que hamaasê hu há’ikar, “ação é o principal [santidade]”. O significado espiritual do mundo físico (o Reino da Ação) é elucidado em muitos textos chassídicos.

O Baal Shem Tov enfatizava a necessidade de trabalhar com o corpo, em vez de quebrar o corpo, a fim de atingir o esclarecimento Divino. Reb Shlomo de Karlin disse: “Se você quer empurrar alguém para fora do atoleiro, não basta ficar acima deles com a mão estendida. Você mesmo tem de subir na sujeira, imergir totalmente na lama. Somente então você pode agarrá-los com as duas mãos e empurrá-los para fora com você.”

9 – Dentro da natureza Há Divindade

A cabalá fala sobre “centelhas” da “Luz Divina” que estão dentro do mundo natural ao nosso redor.

“Cada coisa que uma pessoa vê ou escuta é uma instrução para ela em sua conduta no serviço a D'us.” Esse pode ser o mais citado dos ensinamentos do Baal Shem Tov. Uma citação no âmago da filosofia Chabad é que “não há lugar vazio Dele.” D'us está em toda parte, e a Divindade existe em tudo.

Reb Menachem Mendel de Kotzk disse: “Aquele que não vê D'us em todo lugar, não vê D'us em nenhum lugar.”

10 – Tudo é Orquestrado Pela Divina Providência

A intensa complexidade da Divina Providência pode ser mais bem resumida pelo seguinte ensinamento do Baal Shem Tov: “O Mestre do Mundo sabe exatamente quantas vezes uma folha vai se virar ao vento antes de cair ao chão.”

Se D'us colocou você num conjunto específico de circunstâncias é porque há algo especial que somente você pode realizar onde está agora mesmo.

Portanto, não apenas se sente ali e leia outro artigo, Vá e implemente esses ensinamentos com sua família, amigos, e até aqueles fora da sua esfera de influência. Como o Baal Shem Tov ensinou: “Quando Mashiach virá? Quando [esses ensinamentos] irromperem para fora.”

É minha esperança que esses ensinamentos ajudem você na sua busca para se tornar uma pessoa melhor, começando hoje.