O mês de Elul é chamado de “Mês da Misericórdia e do Perdão”. Os Sábios nos ensinaram que os dias deste mês são propícios para a absolvição e o perdão, pois nestes dias o Todo-Poderoso concordou em perdoar os filhos de Israel pelo pecado do bezerro de ouro. Depois que Moshê desceu pela primeira vez do Monte Sinai, com as Tábuas da Lei em suas mãos, testemunhou que os israelitas haviam feito o bezerro e quebrou as tábuas. Depois disso, decretou a morte de todos os que haviam idolatrado o bezerro, moeu o ídolo e misturou seus restos em água. Em seguida, fez todos os israelitas beberem a mistura. Todos os que haviam pecado morreram assim que beberam daquela água. Entretanto, a ira divina sobre os filhos de Israel ainda era muito grande.

Em Rosh Chodesh Elul daquele ano, Moshê subiu pela terceira vez ao Monte Sinai para rezar e pedir perdão completo para o povo de Israel. Sua oração foi aceita no Yom Kipur – 40 dias depois – e D’us aceitou a Teshuvá (“retorno” – arrependimento e conserto) dos filhos de Israel. Imediatamente, Moshê desceu para entregar as segundas Tábuas da Lei aos israelitas. Assim, como neste processo de 40 dias a Teshuvá dos filhos de Israel, durante o êxodo do Egito, foi aceita, estes dias se tornaram em todas as gerações um período com um potencial especial para a aceitação da Teshuvá perante o Todo-Poderoso.

Neste dia, Rosh Chodesh Elul, D’us ordenou que se tocasse o shofar para que o povo não errasse mais praticando idolatria. Naquele dia, O Todo-Poderoso foi exaltado e enaltecido por meio desse toque de shofar. Por isso, os Sábios determinaram que se tocasse o shofar em Rosh Chodesh Elul todos os anos.

Os ashkenazim costumam tocar o shofar todos os dias do mês de Elul, após a Tefilat de Shacharit (oração matutina). Os sefaradim costumam recitar as Selichot (oração de perdão) durante todo o mês de Elul e tocar o shofar na recitação do kadish no final das Selichot.

Como halachá, quem não ouviu o shofar no final da oração, em algum dos dias do mês de Elul, não é obrigado a procurar alguém que lhe toque, pois esse toque de shofar é apenas um costume.