Qualquer peça de vestuário de quatro pontas, de qualquer cor, é obrigada a ter tsitsit(franjas) presas aos cantos. Assim, um talit, que é essencialmente uma peça de quatro cantos usada durante as orações matinais (daí o nome "xale de oração"), e até poderia ser de qualquer cor. De fato, é interessante notar que no final da Idade Média e no início da era moderna, não era incomum nas comunidades ashkenazitas as pessoas usarem figuras coloridas.1 No entanto, historicamente a grande maioria é branca, geralmente com listras.

Existem várias razões para isso.

Combinação de cores

Há uma discordiancia se os fios do tsitsit devem ser da mesma cor branca que a vestimenta.

A Torá ensina que o tsitsit deve ser feito da mesma fibra que o canto da roupa. Alguns entendem que isso significa que eles devem ser da mesma cor também.2 Outros, no entanto, sustentam que a Torá estava apenas preocupada com o material do tsitsit e não com a sua cor.3

A halachá, lei judaica, segue a última opinião. Portanto, o costume é que, mesmo que a peça seja de cor diferente, os tsitsit é deixado branco 4, já que essa é a cor original “padrão” da lã não tingida.5

A importância do branco

Quando D'us ensinou a Moshê os Treze Atributos de Misericórdia, a Torá nos diz que “o Senhor passou diante dele”. 6 O Talmud explica que D'us metaforicamente “Se envolveu no talit como um líder de oração e mostrou a Moshê a estrutura da ordem das preces.”7 Daniel 7:9 nos diz que “as vestes de D'us eram brancas como a neve”. Coloque as duas tradições juntas e você terá um talit branco.8

Além disso, branco denota divina misericórdia e perdão, 9 conforme lemos: "Se seus pecados se revelarem como carmesim, eles se tornarão brancos como a neve."10

Assim, é preferível usar um talit branco, que tem a vantagem adicional de ser casher de acordo com aqueles que exigem que as franjas e a veste sejam da mesma cor.11

Listras

Em face do exposto, o costume na maioria das comunidades sefaraditas é portar um talit completamente branco. O costume nas comunidades ashkenazitas, no entanto, é adicionar listras pretas (ou azul marinho) na borda do talit em lembrança ao techelet, tinta azul extraída de um peixe que se desconhece a origem, e que era usado para tingir algumas franjas somente quando existia o Templo Sagrado em Jerusalém.

(Apesar da adição de listras, a peça ainda é considerada branca, já que essa é a cor primária e majoritária.12)

Da próxima vez que você observar um judeu portando seu talit branco, reflita por um instante em ele evoca o atributo de misericórdia Divina.