Entre os últimos Rebes chassídicos nascidos na Europa pré-guerra, o falecimento do Rebe Skulener aos 95 anos de idade em 1 de abril aproxima ainda mais a conclusão da era torturante na narrativa da história judaica – a dispersão dos grupos chassídicos das aldeias do leste europeu, cidades onde eles tinham moldado a vida judaica durante séculos. Conhecido pela sua bondade e prolífica composição de melodias chassídicas, Rabi Yisroel Avrohom Portugal, de abençoada memória, foi um amado residente do bairro Boro Park no Brooklyn, Nova York.

Rabi Yisroel Avrohom nasceu em 1924 na aldeia de Sculeni (Skulen em yidish) na fronteira da atual Moldova e Romênia, e mudou-se para a cidade ucraniana de Chernowitz pouco antes da Segunda Guerra Mundial.

Seu pai, Rabi Eliezer Zusia Portugal, o primeiro Skulener Rebe, era um proeminente seguidor do grupo chassídico Shtefanesht, um ramo da famosa dinastia Ruzhiner, e somente se tornou um Rebe por si mesmo mais tarde na vida.

Antes da Segunda Guerra Mundial, Rabi Yisroel Avrohom ajudava seu pai cuidando de judeus órfãos. Pouco depois da guerra, eles conseguiram mudar para a cidade de Bucareste, na Romênia, conseguindo levar muitos órfãos com eles.

Em Bucareste, eles expandiram suas atividades, abrindo um orfanato e encorajando as crianças a praticar escrupulosamente o Judaísmo. A Romênia era então uma república satélite soviética, e sua obra despertou a ira das autoridades comunistas. Começando em 1949, Rabi Eliezer Zusia foi preso em diversas ocasiões, embora a cada vez sua libertação fosse garantida com mínimo esforço. Porém, em 1959, o regime prendeu tanto o pai como Rabi Yisroel Avrohom, ele próprio um líder com 35 anos, acusando-os de traição.

Rabbi Eliezer Zusia Portugal, the first Skulener Rebbe
Rabbi Eliezer Zusia Portugal, the first Skulener Rebbe

Um imenso esforço internacional conseguiu assegurar a libertação do Rebe e seu filho. Importantes nesses esforços foram Harry Goodman, vice presidente da Agudat Israel’ Rabi Eliezer Silver, presidente da União de Rabinos Ortodoxos dos Estados Unidos e o Rebe de Lubavitch – Rabi Menachem Mendel Schneerson, de abençoada memória.

Rabi Silver viajou numerosas vezes a Washington, para interceder em prol deles, mas não conseguiu. Porém, após um chamado telefônico pessoal do Rebe, ele concordou em viajar uma última vez para Washington. Pouco depois, o Skulener Rebe e seu filho (e eventual sucessor) foram libertados.

O vínculo entre Chabad e Skulen não terminou aí. Quando o Skulener Rebe e seu filho chegaram aos Estados Unidos em 1960, eles optaram por residir nas vizinhanças de Crown Heights no Brooklyn, perto da sede do movimento Chabad-Lubavitch.

Rabi Eliezer Zusia teve numerosas audiências com o Rebe e frequentou farbrenguens liderados pelo Rebe em várias ocasiões. Quando ia visitar a sinagoga Chabad para as preces matinais, o Rebe insistia para que Rabi Eliezer Zusia fosse chamado à Torá em seu lugar. De fato, numa audiência privada com o Rebe em 1974, o Rebe afirmou que o Skulener Rebe tinha o poder de realizar a redenção final. Quando o Skulener Rebe resistiu, o Rebe declarou que ele estava mostrando um “chamado para a humildade”.

Quando, devido ao aumento nas taxas de crimes, a ampla comunidade judaica de Crown Heights começou a se afastar, o Rebe encorajou fortemente a população judaica local a permanecer. Em respeito ao Rebe, e mesmo após a maioria dos seus seguidores já ter se mudado, o primeiro Skulener Rebe ficou. Nos seus últimos anos em Crown Heights, os estudantes Chabad iriam assegurar que ele tivesse um minyan para a prece.

The Skulener Rebbe, front, second from right, stands as the Lubavitcher Rebbe, seated left, delivers a Chassidic “maamar” (discourse).
The Skulener Rebbe, front, second from right, stands as the Lubavitcher Rebbe, seated left, delivers a Chassidic “maamar” (discourse).

Após estabelecer-se nos Estados Unidos, o primeiro Skulener Rebe continuou sua obra em prol dos judeus romenos. Ele fez um acordo com o empresário britânico Henry Jakober; por $2.000 por pessoa, os romenos iriam conceder vistos de saída para os judeus. O Skulener Rebe precisava levantar uma soma significativa – e jejuar. Ele pediu ajuda ao Comitê Judaico Americano de Distribuição, mas os líderes da organização estavam relutantes em entrar na luta, temendo que os romenos não cumprissem sua palavra.

O Skulener Rebe procurou o Rebe, pedindo a ele para fazer o possível. O Rebe chamou Rabi Binyamin Eliyahu Gorodetsky, líder do Chabad na Europa, e pediu sua ajuda. Gorodetsky pôde encontrar Moses Leavitt do Joint, convencendo-o que eles poderiam confiar nos romenos para seguir em frente. Esses esforços do Skulener Rebe, juntamente com ativistas Chabad, facilitaram o resgate de centenas de milhares de judeus da Romênia.

Após o falecimento do primeiro Skulener Rebe em 1982, seu filho Rabi Yisroel Avrohom Portugal aceitou o manto da liderança, tornando-se o segundo Skulener Rebe. Ele continuou nos caminhos do pai, dirigindo a caridade Chessed L’Avraham que seu pai tinha estabelecido para crianças em dificuldades.

Após o falecimento da esposa do Lubavitcher Rebe, Rebetsin Chaya Mushka, o Skulener Rebe dirigiu algumas palavras durante a shivá falando sobre o vínculo especial entre Chabad e Skulen.

O Skulener Rebe descansou em 3 de abril de 2019 com dezenas de milhares de pessoas comparecendo ao seu funeral.