O sétimo e oitavo dias de Pêssach são celebrados como feriados, Yom Tov, encerrando a celebração de uma semana que começa com o primeiro Seder. Em Israel, apenas o sétimo dia é celebrado. Em hebraico, os dois últimos dias são conhecidos como Shvii shel Pessach (Sétimo de Pêssach) e Acharon shel Pessach (Último de Pêssach), respectivamente.

O que aconteceu no sétimo dia de Pêssach?

No dia 15 do mês de Nissan, os filhos de Israel deixaram o Egito, onde serviram como escravos por gerações. Apesar de sua recusa ipersistente ,após 10 pragas o faraó cedeu e permitiu que os judeus deixassem o Egito para um retiro espiritual de três dias no deserto.

Ao término dos três dias, vendo que os israelitas não voltaram, o faraó percebeu que eles tinham ido embora para sempre, a caminho de sua independência e liberdade na Terra Prometida. Ele apanhou seu melhor cavalo de batalha e chamou sua nação para que se juntasse a ele na captura de seus antigos escravos.

Após uma curta perseguição, o exército egípcio alcançou os israelitas às margens do mar vermelho. Os israelitas ficaram encurralados; não havia para onde fugir além do mar. Então D'us ordenou a Moshê que levantasse seu cajado e dividisse o mar, permitindo que os israelitas atravessassem na terra seca. Quando os egípcios tentaram perseguí-los, o mar desabou sobre eles. Carruagens, cavaleiros e cavalos pereceram no mar agitado.

Tomado por imensa gratidão, Moshê liderou os israelitas entoando o Cântico do Mar. Miriam conduziu as mulheres em uma canção adicional de agradecimento, acompanhada de tamborins e tambores.

Este milagre aconteceu nas primeiras horas da manhã do dia 7 de Páscoa.

Os judeus na Abertura do Mar. (Arte de Yomam Ranaan)
Os judeus na Abertura do Mar. (Arte de Yomam Ranaan)

O Que Fazemos Para Celebrar?

O sétimo e oitavo de Pêssach são feriados completos. Como outros feriados, não fazemos nenhum trabalho, além de certos atos ligados à preparação de alimentos, recitamos preces especiais, e mulheres e meninas acendem velas na véspera do primeiro dia e ao escurecer completo no segundo dia. Mas também há práticas especiais para os últimos dias de Pêssach:

Sétimo Dia de Pêssach

  • Não pisque. Muitas pessoas têm o costume de permanecer acordadas a noite inteira que antecede o sétimo dia de Pêssach, estudando a Torá como uma maneira de agradecer D'us pelo milagre que Ele realizou naquela época e que continua realizando em nossos dias.
  • Leia novamente. Durante os serviços da manhã do sétimo dia, a leitura da Torá inclui a narrativa de nossa salvação milagrosa no mar e a canção que entoamos.

Oitavo dia de Pêssach

  • Saborear e mergulhar. Muitas pessoas têm o costume de se certificar de que a matsá não entre em contato com umidade durante os sete dias de Pêssach, para que nenhuma farinha fique levedada. No oitavo dia de Pêssach, essa restrição é relaxada, e a matsá pode ser misturada com água e outros líquidos criando pratos típicos da Festa de nossa liberdade: kneidalach e outras comidas gostosas com matsá.
  • Yizkor. Durante os serviços das rezas da manhã do oitavo dia, orações memoriais de Yizkor são recitadas pelos filhos cujos pai ou ai, ou ambos, já partiram deste mundo.
  • Era MessiânicaO Baal Shem Tov observou que no último dia de Pêssach, os raios da redenção messiânica já estão brilhando. Ele instituiu que uma refeição especial fosse realizada durante as horas finais do dia. O rabino Shalom Dov Ber de Lubavitch adicionou quatro copos de vinho à refeição, em alusão aos quatro copos de vinho ingeridos durante as duas noites do seder de Pêssach. (Em Israel, esta refeição e o Yizkor são observados no sétimo dia).