"O estudo do Zohar eleva a alma, o estudo do Midrash desperta o coração; os Salmos lavam o recipiente com lágrimas."

Tsemach Tsedec, o terceiro Rebe de Chabad

O Tehilim, o Livro dos Salmos, é uma obra sagrada compilada pelo Rei David. Ele é um dos vinte e quatro Livros Sagrados, contendo a grandeza da Torá e a grandeza da tefilá, prece.

Ele é o único livro no Tanach que é comparado à própria Torá. Mais do que apenas uma coleção de belas canções composta por vários autores, é considerada a “Torá da Oração”. Assim como toda a Torá é originada nos cinco livros de Moshê, a oração no judaísmo é originada nos cinco livros dos Salmos. Os Salmos são divididos em cinco livros e em sete seções, um paralelo à Torá que possui cinco livros e sete partes em cada parashá, porção.

Por todas as gerações, os Salmos dão a todo judeu, do grande erudito ao mais simples, a capacidade de expressar e articular as súplicas e agradecimentos a D’us. Mas por que entre todos os grandes líderes da história, D'us concedeu unicamente ao Rei David a sabedoria de redigir os cânticos de louvor, desde o início dos tempos, e legar à nação judaica esta chave sagrada para sua conexão direta com o Criador?

Porque durante toda a sua vida, o Rei David estava imerso na constante recitação dos salmos. Em tempos de dificuldade e sucesso, como um fugitivo caçado ou como um rei vitorioso no auge da realeza e grandeza, seus lábios nunca pararam de pronunciar louvores a D’us. Apesar de muitos salmos terem sido compostos e recitados muitas gerações antes do Rei David, ficou conhecido como o livro do Rei David. A obra reúne inúmeros capítulos atribuídos a grandes personalidades e o Talmud Baba Batra 14b enumera seus dez autores além dos Salmos do pr´oprio Rei David: Adam HaRishon [Adão], Malki Tsedec, Avraham [Abraão], Moshê [Moisés], Heiman HaEzrachi, Yedutun, Assaf e os três filhos de Corach.