por Rabi Shmuel M. Butman

No Shabat da parashá Reê abençoaremos o mês de Elul, mês em que nos preparamos para a chegada dos Grandes Dias festivos. De que forma? Tocando o shofar todas as manhãs, revisando nossas mezuzot e tefilin para ter certeza de que ainda estão adequados, tendo mais cuidado com o que comemos, estudando e aplicando as leis de cashrut e recitando selichot especiais (preces de súplicas) à medida que se aproxima o final do mês.

Por que fazemos tudo isso no mês de Elul? Não podemos esperar estarmos mais próximos de Rosh Hashaná e Yom Kipur? De qualquer forma, a maioria de nós "trabalha" melhor sob pressão!

Essas questões podem ser explicadas por uma bela parábola: Uma vez por ano, um rei muito poderoso deixa seu palácio, seus guardas, seu luxo e vai até o campo para encontrar seus súditos.

No campo, as pessoas podem perguntar o que quiserem ao rei. Não precisam esperar em longas filas, passar por revistas de segurança, serem anunciadas com cerimônia. Podem falar com ele sem hesitação. No entanto, uma vez que o rei tenha retornado a seu palácio, os súditos terão novamente de passar por todos os tipos de protocolo para encontrá-lo. Portanto, obviamente, seus súditos aproveitam a oportunidade ao máximo.

Em Elul, o Rei está no campo!