Por Rabino Shabsi Alpern

Os ensinamentos místicos explicam que o mal não tem permanência. Somente o bem existe eternamente e toda boa ação perdura para sempre. A maneira de lutar contra o mal, então, é com o bem duradouro e incessante. O quanto você e eu podemos fazer para erradicar o mal da face da terra, varrer o terror e eliminar a violência? Realisticamente falando, qual é o impacto de uma só pessoa sobre o mundo inteiro?

O Rebe abordou exatamente essa questão há quatro décadas numa carta pré-Grandes Festas a judeus de todo o mundo. Um único indivíduo é capaz de levar toda a criação à plenitude, como foi o caso do primeiro homem, Adão.

Os mestres ensinam que ele foi o protótipo e exemplo para seguirmos: por esse motivo o homem foi criado como um só indivíduo, para que cada um seja ‘uma pessoa é igual ao mundo inteiro’, declararam nossos Sábios na Mishná. Isso significa que todo judeu, independentemente de tempo e lugar, e status pessoal, tem a plena capacidade, portanto também o dever, de elevar-se ao mais alto grau de realização e fazer o mesmo para a criação como um todo. Isso invalida os argumentos daqueles que não cumprem sua função com a desculpa de que é impossível mudar o mundo; que o universo é tão imenso, e como uma pessoa poderia ter esperança de realizar algo?

Houve épocas nas quais a ideia de um único indivíduo poder transformar o mundo encontrou o ceticismo e exigiu provas. No entanto, exatamente na nossa geração, infelizmente não temos de procurar muito para sermos convencidos de que uma pessoa poderia causar tamanho impacto. Vimos como uma pessoa levou o mundo à beira da destruição, mas pela misericórdia do Rei do Universo, não conseguiu.

Se esse é o caso no âmbito do mal, certamente o potencial de uma pessoa é muito maior no do bem. Pois, na verdade, a criação é essencialmente boa, mais inclinada para o bem que para a direção oposta.

Então, o que posso fazer para lutar contra o mal? Que contribuição posso dar à guerra contra o terrorismo? Qual é o meu memorial aos milhões que foram assassinados no Holocausto? Qual é meu tributo àqueles que pereceram em Nairóbi, Boston, Nigéria? Faça o bem, VOCÊ pode mudar o mundo.