As proibições e preceitos negativos de Shabat foram definidas de acordo com as tarefas que foram necessárias para construir o Mishcán ,Tabernáculo – e suas ferramentas no deserto. Este entrelaçamento de proibições de Shabat e a obra do santuário aparece em vários lugares em Shemot, Êxodo.

Por exemplo, no capítulo 31, ao mesmo tempo que descreve as ferramentas do mishcán, a Torá cita (31:12-17)… ... meus sábados guardareis, pois esse é um sinal entre Mim e vós por todas as gerações para saber que Eu sou o Eterno, que vos santifica... Seis dias trabalharás, mas o sétimo será consagrado Shabat, dia de descanso, santificado para o Eterno ; Todo aquele que fizer trabalho no dia de Shabat, morrerá…

Dessa forma a Torá nos explica que apesar de toda a importância que significa a construção do Tabernáculo e suas ferramentas, somente devemos nos ocupar durante seis dias da semana e todos os trabalhos que estão incluídos na construção do Santuário são proibidos no sétimo dia.

Outra citação também é encontrada em Êxodo 35: 2-3:
“Seis dias trabalharás, e no sétimo dia haverá para vós santidade, sábado de repouso ao Eterno; todo aquele que nele fizer trabalho, será morto. Não acendereis fogo em todas as vossas habitações no Shabat.