No dia 25 de Tevet do ano 3448 da criação (313 AEC), ocorreu o encontro histórico entre Shimon HaTsadic, e Alexandre (“O Grande”) da Macedônia.

Os samaritanos, ferrenhos inimigos dos judeus, convenceram Alexandre de que o fato de os judeus se recusarem a colocar sua imagem no Templo era um sinal de rebelião contra sua soberania, e que o Templo Sagrado deveria ser destruído. O Cohen Gadol, Sumo-Sacerdote naquela época era Shimon HaTsadic, o último dos “Homens da Grande Assembleia” que reconstruiu o Templo Sagrado e revitalizou o judaísmo sob o domínio de Ezra.

No dia 25 de Tevet Alexandre marchou em Jerusalém à frente de seu exército; Shimon, vestido com suas roupas de Cohen-Gadol e acompanhado por uma delegação de judeus dignatários, caminhou ao seu encontro. Os dois grupos marcharam em direção ao outro durante a noite inteira, e ao romper do dia se encontraram.

Assim que Alexandre avistou o rosto do Cohen Gadol, desceu de seu cavalo e curvou-se em sinal de reverência; a seus homens ele explicou que frequentemente tinha visões de um homem com aparência semelhante liderando-o na batalha.

Shimon HaTzaddik levou o imperador ao Templo Sagrado e explicou que o judaísmo proíbe exposição e culto de qualquer imagem; declarou ao imperador que todos os meninos que nascessem naquele ano receberiam o nome de Alexandre, como forma de honrar o imperador (por esta razão o nome “Alexandre” tornou-se um nome comum judaico).

A conspiração dos samaritanos foi por água abaixo, e 25 de Tevet foi declarado feriado (Talmud Yoma 69a).