A porção desta semana é certamente a mais empolgante da Torá. Durante a primeira leitura, encontramos todos os ingredientes de uma novela de sucesso: encontros repletos de tensão entre um Yossef sob disfarce e seus irmãos afastados, a dramática revelação de Yossef de sua verdadeira identidade, e finalmente a cena feliz e tocante, quando o pai desolado se reúne com seu filho favorito, perdido há tanto tempo.

Entretanto, Rabi Meir Simcha HaKohen de Dvinsk assinala um ponto interessante sobre o comportamento de Yaacov, pouco antes de sua reunião com Yossef. Quando Yaacov sabe da sobrevivência do filho e da sua boa sorte, imediatamente faz preparativos para juntar toda a família no Egito, e ao iniciar a jornada oferece corbanot a D’us. Seria de se esperar que as oferendas tivessem sido trazidas por pura gratidão a D’us, por Yossef ainda estar vivo e ter-se tornado um homem de sucesso, mas na verdade achamos que eram também uma indicação do intenso entusiasmo de Yaacov ante o pensamento de deixar a terra de Israel. D’us, por isso, aparece a Yaacov em uma "visão noturna" e lhe assegura que Ele acompanhará o povo judeu até o Egito, e transformará Israel em uma grande nação (Bereshit 46:1-4).

A princípio, este incidente não parece se concatenar com o restante da história. Por que Yaacov estaria temeroso na época de sua maior alegria? Embora estivesse entrando em um país desconhecido, a posição de Yossef como vice-rei do Egito não era uma garantia de que sua família seria bem cuidada?

Yaacov era o único dos antepassados a quem D’us apareceu numa "visão noturna". Podemos entender a importância desta distinção se observarmos os eventos da porção desta semana em seu contexto geral.

Cada antepassado personifica um diferente aspecto do judaísmo e nossa história. Enquanto Avraham é o "conquistador" da terra de Israel e Yitschac caracteriza o povo judeu vivendo na terra de Israel, Yaacov representa o povo judeu no exílio. Sabendo por inspiração Divina que isto estava destinado a ser o início do prolongado exílio no Egito, Yaacov estava hesitante em viajar.

Assim, D’us falou a Yaacov numa "visão noturna", reafirmando-lhe que seus descendentes atravessariam a longa noite do exílio que estava para se abater sobre o povo judeu, porque D’us, Ele próprio estaria com eles. Se o povo judeu cumprisse as mitsvot durante o exílio, D’us permaneceria com eles e os levaria através das trevas. Com esta reafirmação, Yaacov pôde continuar sua jornada até o Egito, satisfeito porque estava seguindo o plano Divino.

É por esta razão que a instituição da prece noturna de Ma'ariv é atribuída a Yaacov, pois ele é o "pai" da galut, simbolizada pela noite, e Yaacov sabia que precisaria da força e ajuda do Criador na escuridão.

Que mereçamos ver o término desta escuridão e que nossa longa noite de exílio tenha um fim e se transforme em luz.