Pergunta:
O que é shaatnez?

Resposta:
Como em tudo na vida, seu guarda-roupa tem um modo judaico de ser, também: não deve conter nenhuma peça que contenha shaatnez.

Shaatnez significa "mistura"; uma mistura não saudável de materiais. Na mitsvá negativa nº 42, lã e linho não podem ser fiados, tecidos, costurados ou vestidos juntos. Diversos motivos são alegados para isso:

Shaatnez era usado como uma espécie de uniforme por membros de outras religiões, e a mitsvá serve para impedir confusão entre o Judaísmo e outras fés.
Os Cohanim usavam uniformes shaatnez, portanto, não podemos nos conduzir como eles, que eram pessoas especiais designadas para um trabalho especial.
O linho foi o sacrifício de Caim, ao passo que ovelha (lã) foi o de Abel, e misturar os dois representa algo negativo. Como posso saber se há shaatnez na minha roupa?

Dando uma de Sherlok Homes:

Episódio I – À Procura
Você é um detetive de shaatnez disfarçado, fazendo uma pesquisa numa grande loja de modas. Os seus alvos são a combinação de linho com lã. Camisas, meias e roupa de baixo feitas de algodão 100%? Inofensivas. Gravatas de seda? Tudo bem. Roupa esportiva de rayon, polyester ou nylon? Pista falsa. Brim? Outra pista falsa para distraí-lo. Ternos ou calças 100% de lã? Compre-os. Proceda com extrema cautela. Peça ajuda. Suspeitos perigosos.

Episódio II – Investigando a Prova
Você paga no caixa e pede um comprovante de compra, caso precise devolver a mercadoria. Sai pela porta com os suspeitos lanosos, agindo calmamente. Sua ajuda está esperando. Você se dirige ao ponto de encontro no Laboratório Shaatnez.

Episódio III – O Veredicto
O especialista no Laboratório, curvado sobre sua bancada de trabalho, examina intensamente os suspeitos. Remove cirurgicamente um pedacinho de fio na parte interior da roupa para análise. "Geralmente depende do local onde foram feitos" – diz ele sem levantar os olhos. "As empresas trocam constantemente de fábricas no mundo todo – portanto você sempre precisa conferir o material; algumas empresas misturam linho na lã que usam."

"Ótimo," você dirá "mas e agora: o que faço com meu Armani? E minhas calças?"

"Bem…" o examinador faz uma pausa, aumentando dolorosamente o suspense – "elas estão ok."

Você respira profundamente.

E ele emenda: "Mas foi bom você tê-las trazido, afinal, nunca se sabe."

Você passa pela porta e vai embora, o sobretudo esvoaçando atrás de você, as roupas novas nas mãos.

Caso encerrado!