Pergunta:
Ouvi falar que muitos judeus religiosos acreditam que ainda não está na hora e evitam fazer aliyá. Gostaria de saber quais são as razões.

Resposta:
Primeiramente devemos deixar claro que para qualquer judeu, independente da corrente a qual pertença, Israel é a terra mais santa e importante, a terra na qual nosso povo surgiu, e na qual todo nosso povo se reunirá quando Mashiach chegar. Todo judeu religioso reza três vezes ao dia voltado em direção a Yerushalayim, Jerusalém.

Não há nada de errado em morar na Terra de Israel por parte dos religiosos. Pelo contrário, vemos em Israel como a população religiosa é crescente, e como grandes rabinos enfatizam a santidade e a importância do lugar. Existe uma quantidade inestimável de rabinos e talmidei chachamim (estudiosos da Torá) em Israel; se considerassem isto errado, certamente não estariam ali.

Há também pessoas que permanecem na diáspora para continuar a manter o judaísmo e salvar seus irmãos da assimilação, o que por si só, já representa um trabalho permanente.

Contudo, a população judaica na diáspora ainda é grande. Isto sim, se deve ao fato de que Mashiach ainda não chegou, e portanto, não é tão simples para um judeu largar o lugar onde cresceu, e onde provavelmente seus antepassados também cresceram. Além de tudo, em qualquer lugar do mundo onde se encontrar um judeu sua obrigação é contribuir em todos os sentidos para o desenvolvimento da nação que tão bem lhe acolheu. E é o que comprovamos através de grandes cientistas, professores, autores, empresários de sucesso entre tantos outros que têm se destacado ao redor do planeta e ao longo da história da humanidade.

Sobre a aliyá, cuja tradução é "subida", o Lubavitcher Rebe sempre manteve uma posição firme e clara em relação a este assunto mantendo-se como um dos maiores incentivadores para que milhares de judeus se estabelecessem na Terra Santa. Associado a isto, o Rebe é universalmente conhecido por ter espalhado milhares de emissários nos países mais remotos de nosso planeta a fim de iluminar cada ponto do mundo levando a mensagem da Torá. E mesmo em épocas de grandes turbulências e temor em relação a Israel, o Rebe foi categórico: é o local mais seguro do mundo, pois sobre ela repousam os olhos de D'us.