Rabi Yossef Yitschak Kazen z"l foi fundador e Diretor do site www.chabad.org, lançado na época como "Chabad-Lubavitch no Cyberspace" e considerado o pioneiro da educação judaica na internet.

Rabi Kazen nasceu em Cleveland, Ohio, em 1954, filho de Rabi Zalman e Sra. Shula Kazen, fugitivos das prisões estalinistas e do Holocausto. O lar dos Kazen sempre foi um centro de atividade judaica e Yossef Yitschac, o mais jovem de sete irmãos, cresceu ajudando a reinstalar imigrantes russos, preparando e entregando refeições para os pobres, e oferecendo-se como voluntário para todo tipo de atividade comunitária.

Quando menino, Yossi Kazen deixou o lar para estudar em Nova York, perto do Lubavitcher Rebe, Rabi Menachem Mendel Schneerson, de abençoada memória, a quem amava sinceramente. Foi um dos primeiros voluntários dos Tanques de Mitsvá, agora comuns, circuitos de telefone internacionais Lubavitch e muitas outras idéias e programas originais, e tinha muitos amigos. Mesmo antes da Web, Kazen foi um dos inovadores tecnológicos de Lubavitch, e ajudou a desenvolver o sistemas por meio dos quais as palestras do Rebe eram transmitidas via telefone para Chabad instalados em todo o globo.

Porém muito mais ainda estava por vir.

Com o advento da tecnologia de comunicação através do computador, Kazen reconheceu imediatamente seu potencial para atingir uma audiência quase ilimitada, especialmente para pessoas que se encontravam em regiões geograficamente restritas ao acesso de informações e vivência judaica.

Em 1988, muito antes de a Internet se tornar popular, Kazen fez contato com milhares de pessoas em Fidonet, uma rede de discussão online que foi distribuída em diversos pontos do mundo inteiro. Esta tecnologia era tão primitiva que às vezes demorava quatro dias para as mensagens viajarem de uma parte a outra do mundo.

Mas Kazen era incansável em sua determinação. Desde manhã cedo até tarde da noite Kazen podia ser visto trabalhando – digitalizando e colocando milhares de documentos naquilo que se tornaria a primeira biblioteca judaica virtual do mundo, possibilitando a milhares de pessoas aprenderem sobre o Judaísmo pela primeira vez.

Faleceu aos 44 anos no dia 12 de kislêv onde os tributos via internet em reconhecimento ao seu trabalho, endereçado à equipe que daria continuidade ao seu trabalho, não paravam de chegar de todas as partes do mundo judaico.

A. Engler Anderson, Editor do Shamash – O Consórcio Judaico da Internet baseado na Faculdade Hebraica de Boston, declarou que "Kazen foi um pioneiro do uso da Internet para o estudo religioso e disseminação de materiais religiosos. O título ‘visionário’ definitivamente se aplica a ele. Ele viu quando a maioria dos outros não o fez."

Anderson enfatizou ainda que Kazen também criou a primeira e maior congregação virtual. "Ele tinha pessoas de todas as partes do mundo que o consideravam seu rabino." Anderson disse: "Ele jamais automatizou suas respostas, preferindo responder meticulosamente dezenas de milhares de e-mails por si mesmo."

O Seminário Judaico Michael Starr declarou que o site de Kazen tornou-se padrão para o mundo judaico na Internet. "[Seu] site foi aquele pelo qual todos os outros foram julgados."

Os esforços de Kazen ajudando a estabelecer um serviço de Pêssach num barco na Antártida, fornecendo informação para um funcionário da Defesa Judaica na Arábia Saudita, e ensinando um ministro irlandês sobre Judaísmo, conquistaram-lhe uma importante cobertura em jornais como The New York Times, CNN, USA Today, Good Morning América e muitos outros que ficaram fascinados pela visão deste homem em ajudar a educar via Internet.

Sua forma de fazer contato está imortalizada nas coleções do Museu nacional Smithsonian de História Americana exibido pela Internet. Muitos livros, incluindo o popular A Alma do Cyberspace, apresentam suas idéias também sobre educação na Internet.

Em meados de 1998 Kazen foi diagnosticado com linfoma, mas recusou-se a notificar seus milhares de admiradores na Internet. De fato, em meio a dolorosos tratamentos no Cornell Medical Center no New York Hospital ele costumava responder a e-mails em seu laptop.

Rabi Kazen foi enterrado no cemitério Old Montefiore no Queens, próximo ao local de repouso do Rebe deixando esposa e seis filhos, além de seus pais e irmãs com suas famílias, representantes de Lubavitch ao redor do mundo.