Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!

Tehillim do Dia - Salmos

Capítulos 1-9

Mostrar conteúdo em:
Salmo 1
O Livro dos Salmos começa apresentando uma orientação para a vida: evitar a influência dos malévolos e dos que ridicularizam o bem, e adotar o estudo e o conhecimento das Escrituras como meta principal. Deus recompensará nossa vida com alegria e significado.
  1. Bem-aventurado o homem que não segue os conselhos dos ímpios, não trilha o caminho dos pecadores e nem participa da reunião dos insolentes;
  2. mas, ao contrário, se volta para a Lei do Eterno e, dia e noite, a estuda.
  3. Ele será como a árvore plantada junto ao ribeiro que produz seu fruto na estação apropriada e cujas folhagens nunca secam;
  4. assim também florescerá tudo que fizer.
  5. Quanto aos ímpios, são como o feno que o vento espalha. Nem eles prevalecerão em julgamentos, nem os pecadores na assembléia dos justos;
  6. pois o Eterno favorece o caminho dos justos, enquanto o dos ímpios os conduz à sua ruína.



Salmo 2
Deus ungiu David rei e os filisteus reuniram seus exércitos para depô-lo (II Samuel 5:16). Este Salmo mostra a inutilidade de querer frustrar a vontade de Deus.
  1. Por que se reuniram povos e em vão murmuram nações?
  2. Os reis da terra se posicionaram com os líderes que, secretamente, conspiramcontra o Eterno e Seu ungido, dizendo:
  3. “Rompamos suas amarras e nos livremos de suas cordas”.
  4. Aquele que habita nos céus apenas rirá; o Eterno deles zombará.
  5. Ele demonstrará Sua ira e com Seu furor os aterrorizará.
  6. Ele dirá: “Eu ungi o Meu rei, sobre Tsión, meu santo monte.
  7. Proclamarei o que me disse o Eterno: “Tu és meu filho, hoje te gerei.
  8. Pede-Me e te darei os povos como herança, e os confins da terra como possessão.
  9. Com um cetro de ferro os esmagarás; como a um vaso de barro os estilhaçarás”.
  10. Portanto, ó reis da terra, sede prudentes; obedecei, ó governantes da terra.
  11. Servi ao Eterno com reverência e regozijai-vos com temor e respeito.
  12. Buscai a pureza em vosso comportamento para que Ele não liberte Sua ira e vosso caminho conduza ao abismo, por um breve instante de sua cólera. Bem-aventurados sejam aqueles que Nele confiam!



Salmo 3
Absalão, o filho de David, quase teve êxito em sua tentativa de destroná-lo (II Samuel 15-19). Apesar de sua situação parecer desesperadora, este Salmo revela como a confiança de David em Deus lhe dá paz e segurança.
  1. Salmo de David, quando fugia de Absalão, seu filho.
  2. Ó Eterno, tão numerosos são meus adversários! Tantos são os que se levantam contra mim!
  3. Muitos são os que dizem de mim: Para ele não há salvação do Eterno.
  4. Mas Tu, Meu Deus, és um escudo a me proteger. És minha glória, a razão de se manter erguida minha cabeça.
  5. Minha voz clamou ao Eterno, e Ele, em Seu santo monte, me atendeu.
  6. Deitei e adormeci; mas acordei porque o Eterno me sustentou.
  7. Não temerei a multidão de povos, que de todos os lados, se juntaram contra mim.
  8. Levanta-Te e salva-me, ó Eterno meu Deus! Feriste o rosto de todos os meus inimigos, e quebraste os dentes dos pecadores.
  9. A salvação provém do Eterno; que sobre Teu povo recaia Tua bênção.



Salmo 4
Embora se dirija aos seguidores de Absalão, David fala a todos os pecadores e apela para abandonar a hipocrisia, a ilusão das vitórias temporárias e a glória sem significado. Que cessem as calúnias e reconheçam a verdade que os levará ao arrependimento e à verdadeira felicidade.
  1. Ao mestre do canto, com instrumentos de corda, um salmo de David.
  2. Responde à minha invocação, ó Deus da minha justiça! Ó Tu que me aliviaste da angústia, apieda-Te de mim e ouve minha oração.
  3. Filhos dos homens, até quando difamareis minha honra, amareis a futilidade e buscareis a traição?
  4. Sabei que o Eterno destaca para si o devoto e ouvir-me-á quando eu O evocar.
  5. Portanto tremei e não pecai; ponderai em vossos corações enquanto estais em vossos leitos e suspirai.
  6. Oferecei sacrifícios com honestidade e confiai no Eterno.
  7. Dizem muitos: Quem nos mostrará o bem? Que a luz da Tua face resplandeça sobre nós, ó Eterno.
  8. Alegria puseste em meu coração como no tempo da abundância do trigo e do vinho.
  9. Em completa paz poderei repousar e dormir, porque somente Tu, ó Eterno, me manterás em segurança.



Salmo 5
Sitiado por inimigos, o homem justo reza pela libertação para aliviar seu sofrimento físico e servir a Deus sem interferências.
  1. Ao mestre do canto, acompanhado por instrumentos de sopro, um salmo de David.
  2. Dá ouvidos às minhas palavras, ó Eterno, e considera minha súplica.
  3. Atenta à voz do meu clamor, meu Rei e Deus, pois a Ti dedico minha prece.
  4. Eterno, ouve a voz da oração que a Ti dirijo a cada manhã, aguardando Tua resposta.
  5. Pois Tu não és complacente com a maldade, e a perversidade não se pode manter junto a Ti.
  6. Os ímpios não permanecem sob Teu olhar; Tu desprezas os perversos.
  7. Tu condenas os que praticam traição e abominas os sanguinários e os falsos.
  8. Mas eu, por Tua imensa misericórdia, entrarei em Tua casa, prostrar-me-ei ante o Teu sagrado santuário, pleno de reverência e temor.
  9. Ó Eterno, guia-me através de Teus caminhos justos, a despeito dos inimigos que me espreitam. Aplaina ante mim o Teu caminho.
  10. Pois não há sinceridade em seus lábios e só traição em seu coração. Suas gargantas parecem sepulcros abertos e suas línguas são falsamente aduladoras.
  11. Condena-os, ó Eterno! Que tropecem em seus próprios ardis; rejeita-os pela multiplicidade de seus crimes, por se terem rebelado contra Ti.
  12. Alegrar-se-ão porém todos que em Ti confiam; exultarão sob Teu amparo os que amam Teu santo nome.
  13. Pois Tu certamente abençoarás o justo, ó Eterno, envolvendo-o em Teu afeto como um escudo.



Salmo 6
David estava doente e sentia dores ao compôs este Salmo. Sua intenção era que esta oração fosse usada pelos doentes ou em perigo e, particularmente, quando Israel enfrentasse opressão e privação.
  1. Ao mestre do canto, acompanhado com música instrumental, um salmo de David.
  2. Eterno, não me castigues em Tua ira, nem me repreendas em Teu furor.
  3. Apieda-Te de mim, ó Eterno, porque falece minha força; cura-me, pois de terror tremem meus ossos.
  4. Abalada está minha alma; e Tu, Eterno, até quando me deixarás abandonado?
  5. Retorna, ó Eterno, e livra minha alma; salva-me, por Tua imensa misericórdia.
  6. Pois não se erguem louvores a Ti de entre os mortos; no “Sheól”, quem Te exaltará?
  7. Estou esgotado de tanto gemer; toda noite, transborda o leito com meu pranto, se inunda com minhas lágrimas o lugar de meu repouso.
  8. Consumidos pela aflição estão meus olhos, envelhecidos por causa dos meus inimigos.
  9. Que se afastem de mim todos os inimigos, porque o Eterno escutou a voz de meus lamentos.
  10. Ouviu minha súplica e aceitará minha oração.
  11. Todos os meus inimigos se verão frustrados e envolvidos por terror, de pronto hão de recuar envergonhados.



Salmo 7
Neste Salmo, David indica como o generoso de espírito às vezes parece impotente contra o ataque dos que tramam e são traiçoeiros. O justo, todavia, deve criar coragem baseado na compreensão de que prevalecerá sobre o perverso, vítima de suas próprias tramas.
  1. “Shigaion” que David cantou ao Eterno, por causa de Cush, o Benjaminita. Ó Eterno, meu Deus, em Ti eu busco refúgio; livra-me de todos os meus perseguidores e salva-me, para que o inimigo não despedace minha alma como um leão, que dilacera sua presa sem que ninguém a socorra. Eterno, meu Deus, se eu intencionalmente tiver praticado o mal de que me acusam, se há injustiça em meus atos, se eu retribuí com o mal a quem comigo estava em paz, eu que resgatei o perseguidor que sem razão me acossava, então que persiga e alcance o inimigo minha alma, abata minha vida e espoje no pó a minha honra. Ergue-Te, Eterno, em Tua ira; atua com furor contra meus opressores, eleva-Te em meu favor no juízo que ordenaste. Quando se dispuser a congregação dos povos em Tua volta, que Te eleves acima dela, pondo nas alturas Teu divino trono. O Eterno julgará os povos; resgatar-me-á pelo mérito de minha retidão e integridade. Faze chegar ao fim o mal dos ímpios, e dá firmeza ao justo, Tu que perscrutas as emoções e pensamentos de cada um, ó Deus justo. És meu escudo, ó Eterno, que salvas os puros de coração. Deus absolve os justos, e se irrita todos os dias contra os ímpios. Se não se arrepender o perverso, mas afiar sua espada e distender seu arco e mirar o justo, contra ele mesmo estará preparando armas mortíferas e apontando suas flechas. O perverso concebe iniqüidade, fecunda maldade e gera falsidade; escava um fosso e o aprofunda, mas ele mesmo cairá na armadilha que preparou; sobre sua própria cabeça recairá sua iniqüidade, e sobre seu crânio sua violência. Darei graças ao Eterno por Sua justiça, e cantarei um louvor ao Nome do Eterno, o Altíssimo.



Salmo 8
Este Salmo é o cântico extasiado de quem tem a clareza de visão para perceber a obra de Deus em toda parte e sente que as realizações do ser humano são dádivas de Deus a Quem deve se dedicar.
  1. Ao mestre do canto, acompanhado com o instrumento “Guitit”, um salmo de David.
  2. Ó Eterno, nosso Deus! Quão majestoso é o Teu Nome em toda terra, Tu que estendeste Teu esplendor sobre os céus!
  3. Até do balbuciar das crianças e lactentes crias força contra Teus detratores, para destruir inimigos e malévolos.
  4. Quando contemplo Teus céus, obra dos Teus próprios dedos, vejo a lua e as estrelas que criaste,
  5. e me pergunto: o que é o ser humano para que dele Te lembres? E o filho do homem, para que o consideres?
  6. Entretanto, pouco menos que os anjos o fizeste e de glória e esplendor o coroaste.
  7. Tu o puseste como soberano sobre as obras de Tuas mãos; tudo puseste a seus pés:
  8. ovelhas e gado, todos eles, e também os animais do campo,
  9. os pássaros do céu, os peixes do oceano e tudo o que se move sobre os caminhos dos mares.
  10. Ó Eterno, nosso Deus! Quão majestoso é o Teu Nome em toda a terra!



Salmo 9
Apesar de deslumbrado com seu êxito temporário, o mal desaparece no esquecimento, e somente Deus permanece.
  1. Ao mestre do canto, sobre a morte de Laben, um salmo de David.
  2. Louvar-Te-ei, ó Eterno, com todo meu coração; sobre todas as Tuas maravilhas contarei.
  3. Alegrar-me-ei e me regozijarei em Ti, e cantarei a Teu Nome, Altíssimo.
  4. Ao retrocederem, meus inimigos tropeçarão e se perderão ante Tua Presença.
  5. Pois Tu sustentaste meu direito e minha causa, ao sentar-Te no trono, ó Juiz justo.
  6. Destruíste povos malévolos e condenaste os ímpios; seus nomes apagaste para todo o sempre.
  7. Exterminado foi o inimigo, só ruínas restaram; as cidades destruíste e toda sua lembrança pereceu.
  8. Mas o Eterno para sempre está nas alturas; Ele prepara Seu trono para o juízo.
  9. Ele julgará o mundo com retidão, sentenciará os povos com eqüidade.
  10. O Eterno será uma fortaleza para o oprimido, uma fortaleza nos tempos de angústia.
  11. E confiarão em Ti todos os que conhecerem o Teu Nome, pois Tu nunca deixaste os que Te procuram, ó Eterno!
  12. Cantarei ao Eterno, que habita em Tsión; difundam entre os povos seus feitos.
  13. Pois Aquele que cobra o sangue derramado, deles Se lembrou; Ele não esquece o clamor dos aflitos.
  14. Concede-me a Tua graça, Eterno; vê minha aflição, causada pelos que me odeiam, Tu que me resgatas dos portais da morte.
  15. Para que eu possa exaltar todos os Teus louvores nos portões da filha de Tsión; para que eu possa exultar com a Tua salvação.
  16. Caíram os povos no fosso que fizeram; na rede que estenderam, seu próprio pé ficou preso.
  17. O Eterno tornou-Se conhecido, Ele executou a sentença; através de suas próprias mãos, o perverso foi golpeado. Refleti sobre isso.
  18. Os ímpios voltarão ao abismo, assim como todos os povos que do Eterno se olvidam.
  19. Pois o necessitado não será eternamente esquecido, nem a esperança dos aflitos se perderá para sempre.
  20. Levanta-Te, Eterno, para que não prevaleça o malévolo; e sejam por Ti julgados todos os povos.
  21. Impõe-lhes, Eterno, o temor a Ti, para que reconheçam todos que são apenas falíveis mortais.




© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.

A Parashá
ParasháMatot - Massê
Esta página em outros idiomas