ב"ה
Para visualizar horários do Shabat clique aqui para selecionar sua localização

Segunda-feira, 1 Tishrei, 5783

Horas haláchicas (Zemanim)
Para visualizar horários haláchicos Clique aqui para configurar a sua localização
Rosh Hashaná
História Judaica

Em 1º de Tishrei – o sexto dia da Criação – "D'us disse: 'Façamos o homem à Nossa imagem, à nossa semelhança; e que ele tenha domínio sobre os peixes do mar, as aves do ar, e sobre o rebanho, e sobre toda a terra…'" (Bereshit 1:26). "D'us formou o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o sopro da vida; e o homem se tornou uma alma vivente" (ibid. 2:7).

"E D'us pegou o homem e colocou-o no Jardim do Éden, para cuidar dele e mantê-lo" (2:15). "E D'us disse: 'Não é bom que o homem esteja sozinho; farei para ele uma companheira oposta a ele'… D'us fez o homem cair num profundo sono, e ele dormiu; e Ele tirou um dos seus lados, e fechou a carne no lugar. E D'us transformou o lado que Ele tinha tirado do homem em uma mulher, e a levou ao homem. E o homem disse: 'Esta é agora osso dos meus ossos, carne da minha carne; ela será chamada Mulher, porque foi tirada do homem.' Portanto, um homem deixa seu pai e sua mãe, e se apega à sua mulher; e eles se tornam uma só carne" (2:18-24).

No mesmo dia em que foi criado, o homem cometeu o primeiro pecado da História, transgredindo o mandamento Divino de não comer da "Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal". Adam e Eva foram banidos do Jardim, e a humanidade ficou sujeita à morte, trabalho e confusão moral. Porém naquele dia o primeiro homem e a primeira mulher também se arrependeram do pecado, introduzindo o conceito e a oportunidade de teshuvá ("retorno') na experiência humana.

No 1º dia de Tishrei, no 307º dia do Dilúvio, Nôach despachou uma pomba da arca pela terceira vez. Quando a pomba não voltou, Nôach soube que as águas do Dilúvio tinham baixado completamente. Naquele dia, Nôach retirou o teto da arca; porém Nôach e sua família, e todos os animais, permaneceram na arca por mais 57 dias – até 27 de Cheshvan – quando a superfície da terra estava completamente seca e D'us ordenou a eles que deixassem a arca e se restabelecessem, para repovoar a terra.

Supremo teste de fé para Avraham – a amarração de Yitschac em preparação ao sacrifício que D'us tinha ordenado – ocorreu em 1º de Tishrei do ano 2084 (1677 AEC), e é recordado em todo Rosh Hashaná com o toque do shofar (chifre de carneiro – um carneiro foi sacrificado no lugar de Yitschac quando um anjo revelou que a ordem de sacrificar Yitschac era apenas um teste Divino); a narrativa do evento na Torá é lida publicamente na sinagoga no 2º dia de Rosh Hashaná. No dia da amarração de Yitschac, sua mãe, Sarah, faleceu aos 127 anos, e foi enterrada na Gruta de Machpelá em Hebron.

Numa carta ao seu cunhado, Rabi Gershon Kitover, o Báal Shem Tov relata: "EM Rosh Hashaná de 5507 eu fiz uma 'subida da alma' da maneira que você conhece… Subi nível após nível até que cheguei à câmara de Mashiach… E perguntei a Mashiach: "Quando o Mestre virá?" E ele respondeu: "Quando teus ensinamentos forem disseminados e revelados ao mundo, e teus mananciais brotarem…" (Keter Shem Tov 1:1).

"Daf Yomi", regime de estudo diário do Talmud (no qual o participante estuda uma folha ao dia para completar todo o Talmud em sete anos), iniciado por Rabi Meir Shapiro de Lublin, foi lançado em Rosh Hashaná em 1923.

Leis e Costumes

Na primeira noite de Rosh Hashaná, desejamos uns aos outros ”Leshana Tovah Tekatev Vitechatem" – "Que você seja inscrito e selado para um ano bom."

Na refeição da noite, comemos maçã mergulhada em mel, a cabeça de um peixe, romãs, tzimmes (cenouras doces) e outros alimentos que significam um ano doce e bem-sucedido.

No decorrer da manhã e do serviço Mussaf, o shofar é tocado cem vezes, em varisa combinações de tekiah (um toque longo), shevarim (um trio de soluços interrompidos) e teruah (um stacatto de notas curtas), em cumprimento da mitsvá fundamental de Rosh Hashaná. O shofar serve para trombetear nossa coroação de D'us como Rei do Universo, como um chamado ao arrependimento e para evocar a lembrança da Amarração de Yitschac.

Durante a tarde, o serviço de prece Tashlich, no qual pedimos a D'us para “jogar os nossos pecados nas profundezas do mar” é recitado à beira de um corpo de água (mar, rio, lago, etc.) contendo peixes.

O período de dez dias começando em Rosh Hashaná e terminando em Yom Kipur é conhecido como "Os Dez Dias de Arrependimento"; este é o período, dizem os sábios do Talmud, sobre o qual o profeta fala quando proclama (Yeshayáhu 55:6): "Busca a D'us quando Ele deve ser encontrado; chama-O quando Ele está próximo." O Salmo 130, Avinu Malkeinu e outras inserções e adições especiais são incluídas em nossas preces diárias durante estes dias.