Enter your email address to get our weekly email with fresh, exciting and thoughtful content that will enrich your inbox and your life.
Para visualizar horários do Shabat clique aqui para selecionar sua localização

Quarta-feira, 13 Novembro, 2019

Horas haláchicas (Zemanim)
Para visualizar horários haláchicos Clique aqui para configurar a sua localização
História Judaica

No segundo século da Era Comum, a Terra Santa era governada pelos Selêucidas (greco-sírios) que, com a colaboração dos judeus helenistas, introduziu ídolos pagãos no Templo Sagrado e tentou helenizar à força o povo de Israel. Matityahu, filho do Sumo Sacerdote Yochanan, já era idoso quando pegou uma espada e ergueu a bandeira da revolta na aldeia de Modiin nas colinas da Judéia. Muitos se agruparam sob o seu grito "Quem é por D'us, venha comigo!" e dos seus esconderijos nas montanhas, resistiram e travaram batalha contra os gregos.

Após liderar a revolta durante um ano, Matityahu faleceu a 15 de Cheshvan de 3622 (139 AEC). Seus cinco filhos – os "Macabeus" Judah, Yochanan, Shimon, Elazar e Yonatan – continuaram a batalha até a vitória final, que é celebrada todo ano desde então pelos judeus com a Festa de Chanucá.

Nessa noite em 1938 e durante o dia seguinte – 9 de novembro no calendário secular – os nazistas coordenaram cruéis pogroms contra a comunidade judaica da Alemanha. Encorajados pelos seus líderes, os desordeiros atacaram e espancaram moradores judeus, incendiaram e destruíram 267 sinagogas, vandalizaram 7.500 lojas de judeus, e saquearam incontáveis cemitérios, hospitais, escolas e casas judaicas, enquanto a polícia e os bombeiros assistiam. Noventa e um judeus foram mortos e 20.000 outros deportados para campos de concentração.

Estes pogroms, que coletivamente passaram a ser conhecidos como a “Noite dos Cristais Quebrados”, referindo-se às milhares de janelas que foram quebradas, foram uma virada após a qual a política anti-judaica nazista se intensificou.